Celebridades e suas marcas de whisky

Esses dias estava vendo um programa sobre os passatempos das celebridades. Um que me chamou a atenção foi o Nicholas Cage. Ele coleciona animais raros. Uma vez, o Nicholas Cage comprou um polvo de 150 mil dólares, porque, segundo ele, isso aprofundaria sua compreensão sobre outras formas de vida, e melhoraria sua carreira. Sinceramente, moluscos devem ter um péssimo gosto por cinema, porque só de ver a cara do Nicholas Cage, já pulo pra outro filme.

Outro que me surpreendeu foi o Tommy Lee Jones. Além de ser especialista em interpretar ele mesmo nos mais variados papéis, Tommy é um entusiasta ferrenho do polo equestre. O ator cria cavalos para o jogo – conhecidos como ponies – em seu rancho no Texas, financia dois times e tem um centro de treinamento de polo em Buenos Aires. Já a Angelina Jolie possui uma enorme coleção de adagas, e o Brad Pitt, de bonecas da Barbie. O que talvez explique o relacionamento conturbado entre os dois.

É pra isso que eu pago internet.

Há, porém, celebridades com hobbies – ou talvez negócios paralelos – menos aleatórios. Muitas delas, por exemplo, gostam tanto de whisky que resolveram lançar suas próprias marcas. Um passo que, para mim, parece absolutamente natural: o que mais eu poderia fazer, se fosse pornograficamente famoso e rico? Esta matéria apresenta cinco destes famosos que são malucos como a gente. Mas tão malucos, que até parecem normais.

David Beckham – Haig Club

Talvez o mais clássico exemplo de um whisky criado por uma celebridade, o Haig Club de Beckham é um single grain, produzido pela destilaria escocesa Cameronbridge. O rótulo é uma parceria entre o jogador de futebol, seu parceiro de negócios Simon Fuller e a gigante Diageo, detentora da Cameronbridge.

O Haig Club foi desenvolvido para ser um whisky muito fácil de ser bebido, bem pouco oleoso, suave e adocicado. A ideia é que funcione como uma “porta de entrada” para aqueles que acham que não gostam da melhor bebida do mundo. O que talvez seja uma estratégia insanamente perigosa, considerando o sabor do Haig Club. Longe de mim fazer qualquer julgamento, mas, ao prová-lo, tive dúvidas se realmente gostava de whisky.

Bob Dylan – Heaven’s Door Whiskey

O projeto Haven’s Door nasceu de uma parceria entre Dylan e o fundador da marca de whiskeys americanos Angel’s Envy, Marc Bushala. Caso você não tenha percebido, o nome é uma referência a sua famosa “Knockin’ on Heavens Door”, e cria um interessante paralelo com a marca de Bushala – Angel’s Envy.

O portfólio de lançamento contou com três whiskeys. Um bourbon que passa por um processo de filtragem em carvão, semelhante àquele dos Tennessee whiskeys; um Rye Whiskey finalizado em barris que antes contiveram charutos (!), e um Double Barrel, finalizado em barris americanos tostados.

Como aconteceu com a Angel’s Envy, a Heaven’s Door ainda não possui destilaria – esta provavelmente abrirá suas portas em 2020. Atualmente, seus whiskeys são curados, comprados de uma destilaria não divulgada, mas que a gente sabe que é a MGP.

Metallica – Blackened American Whiskey

O Blackened American Whiskey foi criado pela banda Metallica em pareceria com o destilador David Pickerell, e é um blend de whiskeys americanos finalizado em barris de brandy. Curiosamente, cada lote de Blackened vem acompanhado de uma playlist única, feita para interagir com a bebida.

A medida que o whiskey descansa nos barris de finalização, a música é tocada para que o whiskey dentro se mova, e interaja melhor com a madeira. O movimento e a quantidade de interação depende da música tocada, assim, a variação da musica cria nuances de um lote para o outro

A explicação pseudo-científica dá uma certa vergonha alheia. Mas, assumo, adoraria experimentar uma dose ouvindo a regravação do sucesso de Thin Lizzy – Whiskey in The Jar.

Conor McGregor – Proper No. Twelve

Tanto no octógono quanto nos negócios, o lutador de MMA Conor McGregor parece gostar de uma boa briga. E de whiskey irlandês. Por isso, acaba de lançar sua própria marca, a Proper Number Twelve.

Ao contrário da tendência das celebridades – de lançar produtos luxuosos que encapsulam seu lifestyle – o whiskey de Gregor é acessível, tanto financeiramente quanto sensorialmente. Por lá, custa em torno de vinte e cinco libras, e é destilado pela Old Bushmills Distillery, na Irlanda do Norte.

Sam Heughan – The Sassenach

O que seria mais apropriado para um escocês que interpreta um escocês em uma série sobre a Escócia – The Outlander? Lançar uma marca de whisky, claro. Aliás, não apenas uma marca, mas uma companhia inteira voltada para a produção de blended whiskies – a Great Glen Company.

Criei a Great Glen Company para criar produtos em que acredito, usando minha tradição e paixão como inspiração”, disse ele. “No momento, estamos trabalhando na minha marca de whisky com nosso primeiro lançamento em breve” – disse Sam.

Minha querida Cã Engarrafada é apaixonada pela série e pelo ator. E, pelo jeito, muito em breve, eu serei também.

5 thoughts on “Celebridades e suas marcas de whisky

  1. Como vai, mestre?
    Acho importante essa mistura para divulgar mais o whisky.
    Gostaria de provar o do Metallica. Até que ponto a música poderia alterar o líquido? Acredito que quase nada, mas vale pela qualidade sonora hahaha.
    Abraço.

    1. Carmem, infelizmente não. Aliás, acho que tá difícil até no exterior. Minha esposa, a Cã, AMA a série e queria comprar o whisky também!

  2. Na terceira linha de baixo pra cima no uísque do Bob Dylan foi escrito “atialmente”, acredito que seja um pequeno equívoco na digitação.
    Se possível favor não publicar este comentário.
    Sou leitor assíduo do site.
    Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *