Scofflaw Cocktail – Neologismo

Neologismo. A criatividade humana aplicada à linguagem. O berço de palavras, para suprir necessidades ou lacunas. A prova de que a língua não é pétrea ou falecida, mas fluida e viva – em constante mudança. Se você acha que escrevi algo abobado, então dê uma googlada. Eles são onipresentes. O drone comprado no camelódromo. A foto photoshopada da blogueira. O computadorês, aliás, é campeão – deletar, resetar, escanear e (um preferido meu) boostar. Com dois “ós”, por favor, e sem me trollar, porque com um só, é outra coisa. Mas a coquetelaria não fica muito para trás. Coquetel mesmo, a palavra, já foi um neologismo. Ela deriva do inglês cocktail, que, por sua vez, pode ter vindo da corruptela de […]

Uso de whisky na coquetelaria – Transgressão

Hoje irei direto ao ponto. Sem longas introduções ou comparações, mesmo porque haverá oportunidade para isto no meio deste texto. Há alguns dias lancei um post sobre um coquetel que sou apaixonado. O Rusty Compass. Ele é resultado do cruzamento entre um Blood and Sand e um Rusty Nail, e leva whisky turfado. Uma bela proporção de whisky insanamente turfado, capaz de superar o dulçor trazido pelo Drambuie. Depois de testar quase à exaustão e embriaguez, joguei a metafórica toalha e admiti – o melhor resultado levava Ardbeg. Um single malt de mais de trezentos reais. Era um drink tão delicioso quanto desesperadoramente caro. Resolvi lançá-lo no Cão com essa ressalva. Relativizei um pouco a história, e até mesmo recomendei […]

Paris-Manhattan – Desconexão

Todos nós temos problemas. E falar sobre eles quase sempre traz alívio. A maioria de nós escolhe o companheiro, um amigo próximo ou um parente. Estes são nossos confidentes. Na literatura também. E lá, o papel do confidente é duplo. Além de muitas vezes auxiliar o herói, o confidente é uma forma de revelar os pensamentos e aflições do protagonista, sem criar artificialidade. Existem infinitos exemplos, da mais clássica à mais prosaica literatura. Horácio é o confidente de Hamlet, na conhecida obra de Shakespeare. Razumikhin é o de  Raskolnikov, em Crime e Castigo. Dumbledore é mentor e confidente de Harry Potter, assim como Galdalf para Frodo. E não, o mestre dos magos não é confidente de ninguém, porque ele é o Vingador […]

Loki Dry Gin e Hiddleston Gimlet – Cocktail Drops

Pai, porque é que pé de mesa é pé que nem o pé da gente? perguntou a Cãzinha. É que são homônimos perfeitos, respondi. E tem uns bem complicados, como fio de manga, que pode ser da sua blusa, ou aquele que fica no seu dente, da fruta – disse, referenciando mentalmente Caramuru. Senti que tinha ido um pouco longe demais. Mas ela deu uma risada e retrucou. É, quando você fala pé, eu acho que é o meu pé. Mesa nem tem pé que nem a gente.  Fiquei orgulhoso e tomei coragem pra responder. Tipo coração também, que pode ser o seu – e apontei para o tórax dela – ou o resultado mais nobre do processo de destilação. Sempre que […]

Cocktail à La Louisiane – Da Rivalidade

  Rivalidade. Este sentimento de inquieta e prolongada animosidade. Certas rivalidades podem ser apenas destruidoras. Outras, porém, se mostram bastante benéficas, e trazem avanços que jamais existiriam, não fosse a insaciável vontade de superar o rival. Um exemplo clássico é a Guerra das Correntes – protagonizada por Nikola Tesla e Thomas Edison. Esta (literalmente) eletrificante rivalidade começou no ano de 1884, quando um jovem Nikola Tesla passa a trabalhar no renomado laboratório de Thomas Edison. Que, caso você não saiba, foi o cara que inventou a corrente elétrica contínua (DC), a lâmpada incandescente e uma porrada de ógrafos e cópios, como o fonógrafo, o vitascópio e o mimeógrafo. Um ano depois apenas, Tesla se demitiu para começar sua própria empresa […]

Tuaq Ice – Realidade Cristalina

Expectativa e realidade. Poucas coisas definem melhor o abismo entre os dois conceitos do que hambúrguer de um certo fast food. Porque na foto, atrás do balcão, ele é aquele negócio suculento, alto, mal passado, com queijo derretido em abundância. Mas, na realidade, ele é um bife pálido e fino, com uma mísera fatia de algum queijo cretino, e uma alface murcha que não cabe bem lá dentro, e faz o pão deslizar. Uma vez perguntei a um amigo fotógrafo como é que ele fazia para aquele hambúrguer todo torto ficar tão bonito na foto. E ele me confidenciou uma coisa. Que aquilo da foto não era um hambúrguer. E nem estou falando do paradoxo gerado pela Traição das Imagens, […]

Smokin’ Bob Negroni – Negroni Week

Uma noite de inverno em Oakland, em 1905.  Frank Epperson, um garoto de onze anos de idade, esquece um copo com água, refresco em pó e um palitinho de misturar do lado de fora de sua casa. Naquele momento, Frank não fazia a menor ideia do que acabara de criar. No dia seguinte, o menino encontra seu refresco congelado, com um conveniente palito espetado, perfeito para manipulação. Nascia o primeiro picolé do mundo. O próprio Epperson, alguns anos mais tarde, tratou de patentear aquela sua serendipidade. Um século depois, a criação de Epperson está no mundo todo. E apesar de algumas curvas erradas – as paletas mexicanas e aquele negócio comprido e roliço de iogurte, por exemplo – jamais saiu […]

Worldclass 2018 – Sobre a Copa

Não foi dessa vez. Lutamos com garra, mas apesar de toda torcida, do canarinho pistola e do russo esquisitão, fomos derrotados pela Bélgica. Numa copa bem atípica, sem Argentina, Alemanha e Espanha, o Brasil também ficou de fora. Mas apesar de nossa derrota no futebol, ainda podemos trazer a taça para casa. Mas não da Copa do Mundo. De uma outra competição que, na opinião – assumo que um pouco enviesada – desse Cão, é ainda mais importante: o Worldclass Competition. O Worldclass, pertencente à Diageo, é um dos maiores campeonatos de coquetelaria do Brasil, e dos mais importantes do mundo. São mais de dez anos de competição, em mais de cinquenta países. Nessa década de existência, mais de sessenta […]

Chivas Masters – Final

Ah, sempre segunda-feira. Desde que comecei a escrever este blog, minhas segundas-feiras têm sido bem mais animadas. É que segunda é o dia preferido para os mais diferentes eventos de coquetelaria. Talvez porque muitos bares não abram. Ou talvez porque os organizadores têm a mesma sensação que eu – que uma semana que começa numa segunda feira dessas não pode ser ruim. E nessa segunda, 11 de junho, aconteceu na Lions Club a final do Chivas Masters, uma competiçao global, que pela primeira vez teve participação brasileira. Ela celebra bartenders que demonstram conhecimento e criatividade, e compartilham dos valores como comunidade, colaboração e generosidade. A ideia do campeonato é justamente reforçar estes valores, tidos como pilares da marca. Para o Chivas Masters, […]

Drink do Cão – Blackthorne

Às vezes as coisas precisam apenas ser resgatadas para alcançarem o sucesso. Foi o que pensei, após assistir o filme The Disaster Artist, dirigido pelo ator James Franco. The Disaster Artist conta a história de outro filme, por muitos considerado o pior do mundo. The Room, escrito e dirigido por um curioso indivíduo chamado Tommy Wiseau. O filme de Franco – que é bem legal – me deixou genuinamente curioso para assistir àquele de Wiseau. E eu não fui o único. A internet está povoada de relatos de pessoas que viram este depois daquele. E olha, eu não poderia afirmar que The Room é o pior filme do mundo, porque eu não vi todos os filmes do mundo. Mas vou te […]