Murray McDavid e as Engarrafadoras Independentes

Mil e uma utilidades. Energia que dá gosto. A verdadeira maionese. Todo mundo usa ou use e abuse. Todas as frases anteriores são slogans de marcas famosas. Mas eu nem precisava contar isso para vocês, porque vocês já sabiam. É impossível não pensar no Pão de Açúcar quando alguém fala “lugar de gente feliz”, ainda que eu já tenha ido bem contrariado pro supermercado.

Quase todos os slogans trazem uma mensagem comum. São positivos e alegres, e transmitem valores como autenticidade ou confiança. Quase todos, porque há uns poucos bem esquisitos por aí. Como, por exemplo, o da engarrafadora independente Murray McDavid. O slogan deles, em gaélico, é clachan a choin.

Antes de contar o que clachan a choin significa, deixe-me falar um pouco sobre a Murray McDavid. Sua sede atualmente é a destilaria de Coleburn, na região escocesa de Speyside. Ela é uma das mais prolíficas engarrafadoras independentes da Escócia. Caso você não saiba, engarrafadoras independentes são empresas que visitam e escolhem barris de diversas destilarias – que não pertencem a ela – e produzem sua própria linha de whiskies. Às vezes, edições bastante limitadas. Outras, nem tanto.

Clachan

O sucesso de uma engarrafadora independente reside, em boa parte, na sua criatividade. Em sua capacidade de produzir edições improváveis, que mantém o caráter de certa destilaria, mas que são suficientemente distintas daquelas produzidas por esta. Uma engarrafadora independente deve produzir algo novo, mas com ferramentas que já estão lá e não foram criadas por ela. Ela deve pensar diferente. Ser rebelde e desafiadora. E aí é que está.

Clachan a Choin significa “o saco do cãozinho”. Ou, em uma tradução talvez grosseira, porém mais fiel, “as bolas do cachorro”. Uma frase que, convenhamos, não precisa de muitas explicações para transmitir uma sensação de rebeldia. Que a Murray McDavid fez muito bem. Seja com suas linhas mais exclusivas (que levam a marca Murray McDavid), seja com seus produtos mais acessíveis, da ACEO Spirits.

Este Cão Engarrafado teve a oportunidade de provar algumas destas criações por conta da visita do embaixador da Murray McDavid ao Brasil. Que, incrivelmente, é um brasileiro. João Pedro Medeiros. Durante a viagem, o representante realizará degustações em Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. No Rio, o evento – em parceria com a Whisky Rio – acontecerá no dia 13 de março, no Bota Restaurante. Já em São Paulo, a degustação será no Caledonia Whisky & Co.

Dentre os whiskies provados, selecionei quatro que – dentro da minha lógica esquisita – representam bem o espírito (tunts) da Murray McDavid. O primeiro é um single grain scotch whisky produzido pela Girvan. Que só pelo estilo já seria bem distinto, mas tem uma maturação bem especial. Ele é finalizado em barricas que antes continham vinho madeira. Para um single malt, essa finalização já é bem incomum. Para um single grain, ainda mais. Por conta do pouco corpo, a maturação fica bem evidente. É um whisky leve, agradável, adocicado e frutado.

Girvan – diferente da destilaria que todos imaginam

O segundo é o Half and Half, um blended scotch que leva maltes não divulgados de Speyside e Lowlands. A maturação ocorreu principalmente em barricas de carvalho americano. Porém, após blendado, o whisky foi transferido para barris de vinho jerez espanhol para finalização. Sensorialmente, é um whisky mais convencional – adocicado e com um leve sabor de ameixa seca, proveniente da finalização.

O terceiro é o Mulben Moor, um single malt de uma destilaria – alegadamente – não divulgada, mas que a gente sabe que é a Auchroisk. A maturação ocorreu em barricas de ex-bourbon de carvalho americano, e carvalho europeu de ex-vinho Madeira. É um single malt curiosamente cítrico, reminiscente de casca de limão. É mais intenso do que os anteriores. A finalização é longa, frutada e apimentada.

O derradeiro é o Peatside, um blended malt turfado. É uma edição limitada, com apenas 848 garrafas em todo mundo. Maturado em barricas de carvalho americano, e depois transferido para duas barricas de vinho do porto, é um whisky bastante defumado, com notas de frutas em calda e pimenta do reino. A graduação alcoólica é bem elevada – 50%.

Se quiser saber mais sobre a Murray McDavid e os engarrafadores independentes, acompanhe o Cão Engarrafado nas próximas semanas! Faremos uma cobertura do evento de São Paulo e entrevistaremos o embaixador. Aqui sim, é lugar de gente feliz. De dar gosto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *