Arran The Bothy – Sobriedade

Tenho uma relação complicada com uma porção de coisas. Comida, automóveis, plástico bolha (afinal, sucumbo à tentação de estourá-los ou uso para proteger garrafas?). E antibióticos. Porque eu entendo a importância dos antibióticos – afinal, eles nos permitiram escolher entre a dor de estômago ou uma morte lenta, definhante e de dor excruciante. Mas eu detesto tomá-los. E nem é porque dá gastrite, ou pela disciplina do horário. Mas porque tenho que parar de beber. Por. Dez. Dias. Toda vez que tomo antibiótico e me deparo com uma garrafa de whisky, me sinto como meus confrades quadrúpedes observando aquela televisão de cachorro na padaria. Impotentes, sofregamente observando o frango girar, mas incapazes de se desvencilhar daquela visão. Foi justamente o […]

Hot Toddy – Panacéia

Crianças ficam doentes. Isso é inexorável. É preciso criar memória imunológica. Colocar o sistema pra funcionar, ganhar resiliência. E elas são bem talentosas nisso. Vejo pelos meus dois cãezinhos – comer a batatinha que caiu no chão e o cachorro de verdade fuçou, lamber a mão depois de ter apoiado no chão imundo da escola e colocar a boca no corrimão do elevador são coisas triviais para eles. O que explica a frequência que ficam doentes. Especialmente resfriados. Não adianta. Não é porque eles estão mal agasalhados, ou porque pegaram um golpe de ar de alguma janela aberta. Nem porque tomaram pouco suco de laranja. Isso não tem nada a ver com o resfriado. É porque eles são porcos mesmo. […]

Lançamento da nova linha Royal Salute – Na Coréia!

A era digital trouxe infinitas facilidades. E também algumas obsolências. Do telefone fixo, por exemplo. E do correio físico, para cartas. Aqui em casa, temos apenas um telefone fixo, que fica de castigo, instalado na área de serviço, e raramente toca. E quando o faz, nunca é coisa boa. Alguém oferecendo combo de internet, ou alguém pedindo doação. Atender o telefone aqui em casa é certeza de ser achacado. O correio físico vai na mesma linha. Exceto por uma ou outra eventual encomenda, conferir o correio é certeza de desgosto. Multa de trânsito, mala direta de corretora e minha tão admirável quando desesperadora fatura mensal do cartão de crédito. Todas vêm pelo correio e sorrateiramente deslizam por baixo da porta […]