Especial dia dos Namorados – Almas gêmeas do whisky

Olha, isto aqui é um texto sobre o dia dos namorados. Eu sei. E eu sei que o que você espera é que eu indique três ou quatro whiskies perfeitos para data. Ou passe a receita de algum coquetel afrodisíaco que leva a bebida. Mas terei que desapontá-lo. Aqui não há nada disso. Primeiro porque o whisky perfeito para a data é aquele que você mais gosta, e seria muita presunção da minha parte propor algo diferente. Em segundo, porque convenhamos, whisky pode ser quase tudo, mas afrodisíaco é algo que ele não é.

Mas a terceira e a mais eminente razão é que eu detesto o dia dos namorados. O dia dos namorados não é bom pra ninguém. Ele é péssimo para quem é solteiro – que se sente excluído das comemorações – e especialmente detestável para alguém que está em uma relação. Para aqueles, é difícil ignorar o dia dos namorados. Para estes, é desaconselhável. Se você discorda, segure em minha proverbial mão e acompanhe-me nesta singela digressão: quantos de vocês já brigaram no dia dos namorados por conta do dia dos namorados?

A obrigação de fazer algo especial, dar um presente único – leia-se, caro – ou demonstrar afeto daquela forma espontaneamente coagida torna aquele dia uma tortura. Que é a última coisa que ele deveria ser. O dia dos namorados devia ser justamente o que o nome diz, e nada além disso. Um dia para que os casais pudessem aproveitar juntos. Um dia talvez para relembrar porque aquelas duas pessoas combinam tanto. Ou porque você gosta tanto de certa coisa. Sem presentes, sem refeições caras, sem demonstrações públicas de afeto.

E este texto é justamente sobre isso. Sobre combinação. Harmonia. Ou melhor, harmonização. Assim, meus caros, aqui vão três coisas que combinam  tanto com whisky quanto você combina com sua alma gêmea. Seja ela qual for.

1. Chocolate

 

Pois é. Pode parecer um pouco óbvio, já que a combinação de duas coisas boas só poderia mesmo ficar ótima. Mas não é só isso. O whisky e o chocolate certos têm a capacidade de potencializar a experiência dos dois, se consumidos juntos. Experimente, por exemplo, um chocolate ao leite com um bourbon whiskey menos adocicado, como o Woodford Reserve. Ou então um chocolate branco com o single malt Glenmorangie Nectar D’Or, finalizado em barricas que antes continham vinho de sobremesa sauternes. Tente também combinar um chocolate meio-amargo com algum whisky como o Chivas Extra, em que grande parte matura em barricas de vinho espanhol Jerez, especialmente PX e Oloroso.

A exceção fica por conta dos whiskys defumados. A combinação deles com chocolate não funciona bem, talvez pelo caráter iodado ou medicinal do destilado. Quer dizer, é óbvio que não fica ruim, porque chocolate é bom, e whisky defumado também. Mas se me perguntar, prefiro só a bebida mesmo, sem o doce. Normal – mesmo para aqueles que nasceram um para o outro, sempre há aquela pequena parcela – aquele hábito estranho, aquele gosto musical esquisito – que não combina.

2. Queijo

Se você ainda acha que o melhor acompanhamento para um queijo é uma boa taça de vinho, é porque nunca tentou com whisky. Aqui não tem muito segredo. Pense em algo que combinaria com aquele queijo, e procure um exemplar que tenha aquelas características. Assim, um whisky leve ou de corpo medio e notas de mel, baunilha e de especiarias (como um Bulleit, por exemplo) funciona bem com um Camembert ou cheddar. Um whisky mais frutado e oleoso com maturação em barricas de jerez – um The Macallan Amber – combina bastante com um parmesão ou um canastra maturado.

Minha combinação preferida, no entanto, é de whiskies defumados – como um Laphroaig 10 anos ou Johnnie Walker Double Black – com queijos fortes, como um gorgonzola ou gouda. Sério, isso sim é amor de verdade.

3. Carne, frutos do mar, doces (quer dizer, quase tudo)

Não é segredo que whisky melhora as coisas. Whisky é uma espécie de Photoshop gastronômico. Aqui a ideia não é exatamente encontrar algo que acompanhe um copo ou taça da bebida, mas sim usa-la em uma receita. Esta dica baseia-se em um método que somente poderia ser definido como pragmático. Por ele, eu cozinho algo e tento adicionar whisky a alguma parte da receita. Ainda que certas vezes falhe miseravelmente, a pequena parcela de derrotas é facilmente eclipsada pelas incríveis vitórias. Uma das minhas experiências favoritas é um medalhão de filé mignon flambado com whisky defumado e pimenta rosa. E no campo dos doces, um brigadeiro meio amargo com bourbon whiskey.

Minha experiência é que combinar por similaridade funciona melhor do que por contraste. Assim, a receita de um doce irá casar com um whisky doce. Já um prato picante ou temperado, com um whisky cujas notas remetem a especiarias. Aliás, sei que prometi que não mencionaria nada caro ou (discutivelmente) afrodisíaco aqui. Me desculpem. Mas experimentem derramar uma pequena quantidade de algum whisky defumado sobre ostras frescas. Ostras frescas e whisky defumado são a prova de que mesmo o mais improvável amor pode ser glorioso.

E não é apenas com alimentos que whisky combina. Para falar a verdade, whisky combina com momentos alegres. Esteja você sozinho ou acompanhado. Afinal, o propósito de qualquer bebida é exatamente potencializar estes momentos. E para isso, a data comemorativa – seja ela o dia que for – não é nada além de irrelevante.

 

 

9 thoughts on “Especial dia dos Namorados – Almas gêmeas do whisky

  1. Como vai, mestre?
    Olha, eu escolheria sem dúvidas os queijos e coincidência ou não, meus queijos preferidos são gorgonzola e gouda hahaha.
    Aproveitando o gancho do dia dos namorados, informo que localizei minha alma gêmea etílica: Ardbeg 10y. Te escreverei a respeito.
    Grande abraço!

    1. Hahahahhahahah vai ser um triangulo amoroso, porque também sou apaixonado pelo Ardbeg.

      Respondido!

    2. Por coincidência, outro dia fui experimentar e vi que o queijo Maasdan combina muito bem com o Dewar’d 12 anos e com o Jack Daniels Rye… Vivendo e aprendendo!

  2. Caro Master of Másters! Me permita fazer um minúsculo aporte e dazer que peixe cozinhado em panela com toques de JWRL ou Something Special, se transforma en una delicia culinaria. Obrigado por estar cada semana com joias narrativas. Salud!

  3. Double Black com gorgonzola é uma combinação perfeita! Experimentei por acaso e depois resolvi procurar na internet se havia algum texto sobre isso.
    Sabor inesquecível!
    Parabéns pelos textos!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *