Fondue de Chocolate e Whisky

 

O inverno brasileiro é engraçado. As pessoas aguardam ansiosas o fim da sudorese e a chegada de uma temperatura mais amena. A ansiedade é tanta que, às vezes, nem começou a fazer frio e já está todo mundo de casaco. Quer dizer, quase todo mundo. Alguns, poucos, não foram avisados sobre a chegada do inverno, e fizeram o que fazem todos os dias – se vestiram de acordo com a real temperatura externa. O resultado disso é que, a dois metros de uma moça de sobretudo há um rapaz de bermuda e camiseta. E ninguém acha isso esquisito. É como se o figurinista da Globo tivesse escolhido a roupa de todo mundo.

Outra coisa curiosa que acontece no inverno é a mudança dos hábitos alimentares. O inverno não precisa nem ser sentido – basta que seja anunciado – para que centenas de caixinhas de fondue invadam os supermercados. Nos mais sofisticados, há bem mais do que as duas clássicas variedades de queijo e chocolate. Hoje em dia, há especificidade. Fondues de chocolate amargo, chocolate ao leite, queijos emmental, gouda e gorgonzola. É muito fondue para tão pouco frio.

E vou contar um negócio. Adoro queijo e gosto de chocolate, mas nunca entendi a graça de passar calor e depois ter que lavar uma arroba de louça só para comer queijo derretido com pão. Eu nunca fui um grande fã de fondue. Até agora. É que na semana passada resolvi que mudaria isso. A começar pelo fondue de chocolate, que era o último na minha lista de predileções. Mudaria, é claro, da única forma que sei. Adicionando whisky. E incrivelmente, o resultado foi ótimo.

É obvio que, neste ponto, eu poderia simplesmente sugerir que fossem ao supermercado mais próximo, comprassem uma caixinha de algum fondue de chocolate pronto e, na hora de preparar, descesse uma talagada de algum bourbon. Mas, meus caros, não vou fazer isso. Porque valorizo o tempo de vocês, e imagino que esta óbvia ideia já tenha percorrido suas mentes. Se fosse assim, ler este texto seria uma terrível perda de tempo.

Por isso vou explicar como preparar a receita do começo. Sem atalhos. E se você achava que o fondue pronto já fazia sujeira, preparem-se para transformar sua cozinha numa obra de arte do Vik Muniz. Peguem seus caderninhos e agarrem suas sinvastatinas. Aí vai uma receita que vai te aquecer e elevar seu nível glicêmico só de ver a foto.

FONDUE DE CHOCOLATE COM WHISK(E)Y

Antes de qualquer coisa, isto é um blog de whisky. Então vamos discutir o whisky. A ideia aqui é que a bebida realmente complemente o sabor de chocolate. Não apenas com aquele aroma e sabor alcoolico. Mas que, de fato, empreste sabores novos. Assim, a escolha do whisky é importantíssima.

Este Cão testou algumas vezes, com whiskies de preços e estilos diferentes. Primeiro – esqueça os defumados. O medicinal e marítimo deles não funciona direito com o fondue. Whiskies com alguma maturação em jerez ficaram ótimos – como o Famous Grouse, Chivas Extra e o Whyte & Mackay. Bourbons, especialmente os mais adocicados como o Maker’s Mark também – nem precisa dizer – ficaram excelentes. Estes emprestam baunilha e uma certa profundidade à sobremesa.

INGREDIENTES:

  • 225g de chocolate meio amargo (1 barra e meia)
  • 225g de chocolate ao leite (1 barra e meia)
  • 200g de creme de leite fresco
  • whisky a gosto – sim, isso é uma medida discricionária. Este cão obteve os melhores resultados com algo próximo de 150ml.
  • frutas, bolachas ou qualquer coisa que fique boa no fondue.

PREPARO

  1. Quebre os chocolates em pequenos pedaços
  2. em uma panela, adicione o creme de leite e o chocolate, e derreta enquanto mistura. Talvez fazer isso em banho maria seja providencial.
  3. Quando a mistura já estiver quase homogênea, adicione o whisky.
  4. Pode servir!

4 thoughts on “Fondue de Chocolate e Whisky

  1. Cão, faltou um detalhe, isso rende quanto? Da pra umas duas pessoas, é individual?

    Parabéns pelo texto e por me mostrar quea sobremesa do meu fondue de mercado pode ser caseira 😉

    PS: Um Jack single barrel cairia bem nele? Realmente n simpatizei com ele e seria ótimo poder evitar o desperdício, além de liberar o espaço no meu armário para algum Bourbon mais agradavel sem tanta dor na consciência..

    1. José, certamente cairia bem o Jack. A receita dá para umas 2-3 pessoas, dependendo do nível glicêmico que se quer atingir…rs

  2. Como vai mestre?
    Adicionar whisky as coisas parece sempre uma boa ideia. A dificuldade é saber qual whisky.
    Obrigado por facilitar as coisas hahahaha.
    Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *