Lamas 1000 Dias – Experimento

No Alabama, há uma lei que proíbe amarrar uma aligator num hidrante. É expressamente proibido, também, dirigir com os olhos vendados. Já na Suíça, se precisar fazer um número dois antes de dormir, provavelmente terá que suportar sua malcheirosa companhia até o dia seguinte. Porque, por lá, você não pode dar descarga na privada depois das dez da noite. Não pode também praticar alpinismo pelado – que me parece que até faz sentido, afinal, a sensação das cordas roçando na virilha deve ser bem aflitiva.

Por falar em virilha, na Itália, você não pode mexer nas partes baixas em público. Mais especificamente, é contra a lei aprumar o seu amigão na companhia de outras pessoas. Se tá esquisito lá dentro da cueca, virado de lado ou coçando, esquece – nem a boa e velha manobra do bolso da calça é permitida. Por lá, homens também eram proibidos de usar saia. O que talvez fosse um problema para os escoceses mais tradicionalistas.

Na Itália, nem pensar.

O mundo está cheio de leis malucas. Cada país tem as suas próprias. E ainda que seja engraçado indagar as razões de suas criações, há um ponto genial nelas. São reflexo da cultura, ambiente e das prioridades de cada nação. Aquelas cujo objeto é whisky são assim também. Por exemplo, na Escócia, de acordo com a regulamentação da SWA, o tempo mínimo de maturação para que algo seja considerado whisky é de três anos. No Brasil, entretanto, é apenas dois – em boa parte, para atender a lei americana, que não traz limite mínimo. Mas, também, porque aqui, nosso clima quente acelera a maturação.

Esta curiosa diferença foi tema de um lançamento da Destilaria Lamas, de Matosinhos-MG, e do professor Cesar Adames. Um single malt denominado 1000 dias. Que, como você já deve ter presumido, é maturado por este tempo em um único barril de carvalho americano que antes conteve whiskey americano – para ser mais preciso, Jack Daniel’s.

De acordo com a Lamas “Na Escócia, o tempo mínimo de maturação exigido pela legislação é de 3 anos (1.095 dias); enquanto no Brasil, assim como nos Estados Unidos, esse tempo é de 2 anos (730 dias). Isso evidencia a relevância da temperatura média onde o whisky é maturado; quanto mais quente, mais acelerada é a cinética da maturação, considerando, naturalmente, a qualidade dos barris.” Mil dias não está nem tão para a Escócia, nem tanto para o Brasil – é quase a média de ambos.

Para que o barril fique em evidência, o Lamas 1000 Dias não usa qualquer malte defumado. Apenas malte pilsen, sem defumação – o mesmo usado nos Lamas Verus e Plenus. Sensorialmente, o single malt traz notas de caramelo, mel, baunilha, pão e um curioso herbal, que evidencia a personalidade do new-make spirit da Lamas. É um whisky jovem, sem nenhuma sombra de dúvida, mas é também uma experiência curiosa sobre a maturação no Brasil. O Lamas 1000 dias não parece algo inacabado – pelo contrário, tem uma personalidade bem clara.

Prof. Cesar Adames

O Lamas 1000 Dias foi lançado em Março de 2022, com tiragem única de trezentas garrafas – o que rendeu um único barril de ex-Jack Daniel’s. O single malt foi engarrafado a 40% de graduação alcoolica, e vendido a, aproximadamente, R$ 150 (cento e cinquenta reais). No momento de lançamento desta prova, de acordo com Adames, mais da metade da produção já havia sido vendida – uma marca surpreendente, que revela o apetite (ou melhor, a sede) do entusiasta brasileiro por lançamentos nacionais.

Para todos os apaixonados por whiskies nacionais ou simplesmente curiosos sobre a indústria do whisky, o Lamas 1000 dias é uma prova interessantíssima, que coloca em discussão a razão das regras por trás da melhor bebida do mundo. Mas cuidado, não vá aplicar a experiência em outras áreas. Nada de amarrar crocodilianos em hidrantes, dirigir vendado, se aliviar antes de dormir na Suíça ou dar aquela aprumada estratégica na Itália. Reserve a rebeldia para o mundo do whisky.

LAMAS 1000 DIAS

Tipo: Single Malt

Destilaria: Lamas

País: Brasil

ABV: 40%

Notas de prova:

Aroma: baunilha, caramelo, mel.

Sabor: Mel, caramelo. Açúcar demerara. Herbal, com hortelã e pimenta do reino. Final seco que evidencia o new-make spirit.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.