Seis coquetéis refrescantes de whisky para o verão

Ah, o verão. O suor, a praia lotada, a aderência meio nojenta das coisas. Aquela inconveniente temperatura em que é quase impossível beber qualquer coisa a temperatura ambiente. Mesmo porque a temperatura ambiente é a mesma do sétimo círculo do inferno. E ainda que, para mim, beber whisky em qualquer temperatura seja no mínimo agradável, devo assumir que é bem melhor quando ele quase não queima seus lábios.

Pensando nisso – e reticente em abandonar o hábito – pedi ao mestre Marco de La Roche que preparasse uma lista de coquetéis refrescantes e que levam whisky. Perfeitos para essa transpirante época do ano. Marco é atualmente um dos expoentes da coquetelaria e mixologia brasileira e tem um currículo e tanto. É proprietário da Drink.Lab, embaixador das marcas YVY Gin e 1883 Maison Routin. Idealizou o projeto Mentes Brilhantes e faz parte do juri do 50 Best Bars. Foi editor chefe da revista Rabo de Galo e é proprietário do website Mixology News – onde, a convite de Marco, este Cão já escreveu uma matéria.

Bem, sem mais sudorese verbal. Com vocês, seis coquetéis refrescantes de whisky para o verão. Por Marco de La Roche. E tem até drink exclusivo do Cão!


Preste atenção. É só o verão chegar que a gente começa a procurar destilados brancos ou bebidas alcoólicas mais “leves” como os fermentados, seja uma cerveja, um espumante ou até os vermutes na forma de spritzers.

Se é um coquetel nossa memória pede um drinque frutado, cítrico e cheio, muito cheio de gelo.
E é aí que o whisky normalmente fica um pouco para trás. Nós vamos atrás de destilados como tequila, vodka, gim, cachaça entre outros.

À convite do Cão Mestre, fui convidado para compartilhar com vocês uma grande verdade.
Whisky é um grande destilado para se beber no verão. Eis aqui cinco drinques clássicos importantíssimos e uma receita autoral para que vocês possam concluir isso nesse verão.

WHISKY SOUR

Pode-se dizer que um Whiskey Sour é o primeiro passo para os iniciantes. Um clássico que mistura um destilado forte, um cítrico e um dulçor. E assim você pode experimentar com outros destilados, com Rum e Daiquiri, Cachaça e a Caipirinha e Gim e o Gimlet, só para ficar nos fáceis.

Esse drinque apareceu pela primeira vez 1870 em um jornal de Wisconsin, EUA. Mais tarde, foi-se creditado à Elliott Stubb a criação do clássico. É possível encontrar uma série de variações, que abordaremos abaixo da receita sugerida.

  • 60 ml de whisky
  • 25 ml de suco de limão tahiti
  • 25 ml de xarope de açúcar 1:1

Em uma coqueteleira com cubos de gelo, coloque os três ingredientes e bata vigorosamente.
Coe para uma taça martini ou um copo baixo com uma pedra de gelo e finalize com um twist de limão tahiti ou se quiser, uma cereja.

Uma variação possível, não incomum de encontrar nos bares é o uso de clara de ovo. Se quiser experimentar, tente 25 ml de clara de ovo. Outra chance é você encontrar gotas de angostura por cima da clara, também não está nem certo nem errado, é um estilo. Bares e bartenders mais antigos costumam colocar uma cereja como guarnição. Por fim, ainda é possível encontrar uma borda de copo ou taça crustada com açúcar. Quer dar um twist, experimente trocar o xarope de açúcar por um xarope de elderflower, por exemplo.

WHISKEY SMASH

Um dos representantes da coquetelaria com rye whiskey, à base de centeio (e tão raro no Brasil), o Whiskey Smash é uma consequência natural dos Sours. A simples adição de uma erva aromática em um sour e temos um smash. Drinque para os puristas, sem muito malabarismo. Um drinque muito parecido e mais conhecido é o Mint Julep, nesse caso, feito com bourbon, sem limão, montado direto e normalmente servido em uma caneca.

  • 60 ml de rye whiskey
  • 20 ml de suco de limão siciliano
  • 20 ml de xarope de açúcar 1:1
  • 8 folhas de hortelã frescas

Em uma coqueteleira, coloque o hortelã levemente amassado com os dedos, rye whiskey, limão e açúcar.
Acrescente cubos de gelo e bata vigorosamente. Coe para um copo baixo e complete com gelo picado ou então um cubo grande de gelo (dependendo do calor do dia). Finalize com um ramo de hortelã e se quiser uma fatia de limão siciliano.

NEW YORK SOUR

Um dos drinques com whisky que tem crescido muito nos bares é o New York Sour. Datada do século XIX, esta inovação de coroar um Whiskey Sour com um float de vinho tinto iniciou-se em Chicago, EUA e ao início do sec XX já era conhecida bem como New York Sour.

  • 60 ml de bourbon whiskey
  • 30 ml de suco de limão siciliano
  • 15 ml de xarope de açúcar
  • 2 dashes de Angostura
  • 15 ml de vinho tinto (para o float)

Bata vigorosamente os ingrediente com gelo e coe para um copo on the rocks com gelo novo. Flutue o vinho e decore, se quiser, com uma casca de laranja.

BOURBON RICKEY

Mais de um século atrás, adicionar suco de limão em um destilado era uma grande inovação. A receita, registrada em 1883, no Shoomaker’s, um antigo bar de Whashington, EUA, onde o bartender George Williamson e o coronel Joe Rickey tiveram a brilhante ideia de misturar limão e um toque de água com gás em um bourbon, deixando-o mais leve, refrescante e saudável.

  • 60 ml de bourbon whiskey
  • 25 ml de suco de limão tahiti
  • 75 ml de água com gás / club soda

Em um copo longo com cubos de gelo, coloque o bourbon e o limão e mexa rapidamente para homogenizar.
Finalize com água com gás, mexa novamente e sirva com uma rodela fina de limão tahiti.

PENICILLIN

O Penicillin é uma das receitas modernas mais importantes para a coquetelaria. O drinque, foi criado em 2005, por um dos maiores nomes da coquetelaria australiana, Sam Ross, que fez sua carreira e história na capital da coquetelaria mundial, Nova York. Foi lá que esteve à frente da barra de bares míticos como Mik & HoneyPegu Club e agora, à frente do Attaboy, e junto com seu par, Michael McIlroy.

  • 60 ml de scotch whiskey
  • 22 ml de suco de limão siciliano
  • 22 ml de xarope de mel 1:1 (água e mel diluído em partes iguais)
  • 2 fatias de gengibre fresco
  • 7 ml de Islay single-malt Whiskey

Em uma coqueteleira, coloque o gengibre fresco, o xarope de mel e limão siciliano e amasse bem. Acrescente o scotch whiskey e cubos de gelo e bata vigorosamente.
Coe para um copo baixo com novos cubos de gelo e finalize com o Islay whiskey.
Ou você coloca o Islay por cima do líquido ou simplesmente borrifa o whiskey por cima do líquido. Decore com uma fatia de gengibre cristalizado e sirva sem canudo.


DRINQUE EXTRA ESPECIAL PARA O CÃO ENGARRAFADO
APPLE, CORN & GINGER 

Este drinque criado especialmente para essa matéria por Marco De la Roche, e tem como objetivo apresentar notas refrescantes de gengibre, maçã junto com o bourbon whiskey.

  • 60 ml de bourbon whiskey
  • 25 ml de suco de maçã clarificado
  • 50 ml de ginger beer
  • 3 dashes de angostura bitter
  • fatia de maçã desidratada

Em um copo longo com cubos de gelo, coloque o bourbon, maçã e um dash de angostura e mexa bem até gelar e homogenizar. Finalize com ginger beer, mexa novamente. Sirva com uma fatia de maçã desidratada e 2 dashes de angostura por cima.

5 thoughts on “Seis coquetéis refrescantes de whisky para o verão

  1. Uma das coisas que sinto falta em minha cidade é um lugar que sirva esses tipos de drink, mestre.
    Eu bebo em qualquer temperatura, mas com esse calor absurdo um Penicillin cairia muito bem.
    Grande abraço!

  2. Boa noite cão! Gostaria de saber da sua opinião sobre o uso do Black&White para coquetéis a base de blended. Desde já agradecido.

    1. Fala João!!

      Meu caro, vai depender do perfil de sabor do coquetel. O Black & White é um whisky bem adocicado. Talvez para um coquetel mais puxado para o amargo (um Manhattan) ou muito cítrico, possa funcionar. Vai criar um coquetel com perfil mais adocicado também, o que não é necessariamente ruim!

  3. Obrigado por todas as informações que voce colocou em seu sitio, e pelas dicas de drinks! cheers

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *