Drops – Compass Box The Peat Monster Arcana

Drops são nossos posts menores, de análise ou curiosidades do mundo do whisky, e que contam com rótulos indisponíveis no Brasil – mas com alguma particularidade interessante. Para ler outros drops, clique aqui


Expectativa é uma coisa engraçada. Há whiskies que, só de ler, me dão nervoso para experimentar. Mas que são decepção do momento de abrir o lacre a dar o primeiro – e algumas vezes o último – gole. Há outros que são o oposto. Não provocam nem um arquear de sobrancelhas durante a leitura. Mas, ao primeiro gole, me deixam acenando positivamente com a cabeça – depois, claro, de dizer algum palavrão de enaltecimento qualquer.

E há aqueles que são os dois. O Compass Box Peat Monster Arcana está nesta classe. Aliás, a Compass Box Whisky Co. quase gabarita esta classe. A empresa foi fundada em 2000 por John Glaser, ex executivo da Diageo, como uma espécie de produtora boutique de whiskies de altíssima qualidade. A maioria de seus rótulos possui alguma invencionice, ou iconoclastia. A empresa procura sempre trazer inovações, e expandir as fronteiras da produção de whisky – e claro, com um storytelling perfeito.

O Compass Box Peat Monster Arcana é, de certa forma, a conjunção de duas dessas histórias. O Peat Monster e o Spice Tree. Para ser mais preciso – parte do blend do Peat Monster, e as criativas barricas do Spice Tree. De acordo com a própria Compass Box “uma combinação de barris cujo corpo é de carvalho americano, e as tampas de carvalho europeu tostado, nossos barris customizados geram um sabor que nos agrada. Entretanto até 2016, os efeitos destes barris em whiskies defumados permanecia um mistério.”

Proporções dos barris do Arcana. Clique abaixo para baixar.

O blender responsável pelo Peat Monster Arcana foi James Saxon, parte do time da Compass Box. O whisky partiu de uma versão cask strength do peat monster tradicional. O whisky foi colocado em três barricas híbridas – com corpo de carvalho americano e tampas de carvalho europeu tostado – e deixado para maturar por mais de dois anos. Aquelas barricas, aliás, já tinham sido utilizadas pela própria Compass Box para maturar seu “highland blend”, um dos elementos que compõe parte de sua linha. Depois, o whisky foi misturado com outros três single malts.

A composição do Compass Box Peat Monster Arcana é abertamente divulgada pela Compass Box. Ele contém 72,9% de Talisker, 10,6% de Miltonduff e 6,9% de Ardbeg, além de 9,6% daquele Peat Monster experimental, que fora colocado nos barris customizados da Compass Box. O resultado foi um blended malt que ainda mantém o DNA do Peat Monster, mas, mais refinado, menos medicinal e pungente, e mais equilibrado e frutado.

Infelizmente – e como acontece com todos os nossos Drops – o Peat Monster Arcana não está à venda em nosso país. O que torna esta prova quase um exercício de maldade gratuita. Porque você, querido leitor, agora terá sentido exatamente o que senti. Deve ser o feitiço dos grandes whiskies.

COMPASS BOX PEAT MONSTER ARCANA

Tipo: Blended Malt sem idade definida

Marca: Compass Box Whisky Co.

Região: N/A

ABV: 46%

Notas de prova:

Aroma: fumaça de bacon, levemente cítrico, iodo. Frutas vermelhas.

Sabor: Frutas vermelhas, pimenta do reino. O final é longo e vai se tornando progressivamente enfumaçado. A sensação de trazida pela turfa é menor do que no tradicional Peat Monster. As barricas estão mais evidentes.

Disponibilidade: apenas lojas internacionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *