Johnnie Walker Celebratory Blend – Sonambulismo

O cansaço é realmente uma condição surreal, pensei, enquanto puxava a rolha e descia uma generosa dose em um copo baixo. Duas e doze da madrugada. O último par e meio de horas deslizou por mim totalmente despercebido. E, agora, congelado no exato momento que a primeira gota se precipitava pela boca da garrafa, refletia sobre como tinha chegado àquele momento.

Tenho alguns lampejos de memória recente. Depois de ter ido dormir às duas e acordado às cinco no dia anterior, decidi que seria uma boa ideia uma corrida matinal. Voltei, tomei banho, um ofurô de café e resvalei por três reuniões consecutivas, que desembocaram em algo que poderia ser considerado um jantar – um frango curiosamente cru de um lado e carbonizado do outro.

Depois, meu corpo – que claramente já havia sido abandonado por meu cérebro – decidiu que seria uma boa ideia começar uma matéria para este blog. Nove e meia da noite, mais ou menos. Segui catatônico contemplando a tela em branco por uma hora e meia, até, finalmente, assumir a derrota, desligar o computador e ir para cama. E aí, a coisa mais curiosa aconteceu.

(Não é J.C., é o Hugh Jackman)

Passei na frente de minha cristaleira de whiskies e, de soslaio, notei uma curiosa garrafa. John Walker & Sons Celebratory Blend. Um item recém adicionado à minha tímida biblioteca líquida e lançado em Dezembro de 2020 em nosso país. Ainda totalmente lacrado, aguardando o momento perfeito para uma prova deste blog. O momento perfeito como, por exemplo, exatamente aquele.

Fade out, fade in. Sentado à mesa da sala de almoço, tumbler na mão, meus neurônios dão um último suspiro. Que cansaço. Meia dose, quinze minutos, cama, prometi silenciosamente enquanto descia o whisky. Senti os primeiros aromas. Adocicado, canela, açúcar mascavo, baunilha. Bastante aromático, e, de certa forma, reminiscente do finado Gold Label 18. Lembro-me de ler que Jim Beveridge, master blender por trás da criação, certa vez declarou que “ele é inspirado pelos sabores encontrados nos livros de registro da loja de Walker, que estão nos arquivos da Diageo. Queríamos usar apenas whiskies que estivessem disponíveis para a família em 1860, para recriar os aromas da loja

Antes de dar o primeiro gole, observo com interesse a garrafa. O pacote do Johnnie Walker Celebratory Blend é inspirado no Old Highland Whisky, originalmente lançado na década de sessenta do século dezenove. Foi o primeiro whisky da Johnnie Walker a ser criado para exportação, e o primeiro a ter a icônica garrafa quadrada com o rótulo diagonal. O estojo também presta homenagem àquele whisky, e contém a única foto conhecida do empório dos Walkers, em Kilmarnock.

O empório

Dou meu primeiro gole. Adocicado no começo, mas vínico e frutado no final. Frutas secas, passas, ameixas. Uma discreta fumaça que termina e um apimentado seco de gengibre. Muito bom, era exatamente o que precisava, balbuciei para mim mesmo, enquanto sentia um estranho peso sobre as sobrancelhas. Era como se minha testa fosse colapsar sobre meus olhos. Respirei fundo, dei mais um gole e observei um detalhe incrível. 51% de graduação alcoólica! Corajoso.

Lembrei-me que o Johnnie Walker Celebratory Blend faz parte de um trio de lançamentos da Diageo para comemorar os duzentos anos da Johnnie Walker. Além dele, foram também produzidos dois blended scotch whiskies de luxo, o John Walker & Sons Bicentenary Blend e o Johnnie Walker Blue Label Legendary Eight. Ambos, com participação de silent stills pertencentes à constelação de destilarias da Diageo. Mais um gole, pronto.

Finalizada a dose, voltei à sala e liguei novamente o computador. E me desliguei. Devo ter passado uma boa meia hora – ou mais – assim. Cochilando, em paz, em frente à máquina. Ao abrir meus olhos, observei o texto que acabara de produzir. Ou não. Observei novamente a garrafa, à minha frente. Dessa vez não, meu caro Johnnie Walker Celebratory Blend. Hora de ir para cama. Boa noite.

JOHNNIE WALKER CELEBRATORY BLEND

Tipo: Blended Whisky sem idade definida (NAS)

Marca: Johnnie Walker

Região: N/A

ABV: 51%

Notas de prova:

Aroma: Adocicado, canela, açúcar mascavo, baunilha

Sabor: Adocicado no começo, mas vínico e frutado no final. Frutas secas, passas, ameixas. Uma discreta fumaça que termina e um apimentado seco de gengibre.

Disponibilidade: disponível no Brasil – R$ 500, em média.

2 thoughts on “Johnnie Walker Celebratory Blend – Sonambulismo

  1. Trabalho em um bar como garçom, sempre leio suas publicações para aprender cada vez mais, amo o jeito que você descreve cada coisa do modo que consigo entender e usar quando for preciso, todas as dicas, meu drink favorito boulevardier que aprendi aqui com vocês, meu favorito em vendas também, quase ninguém o conhece porém amam o negroni sempre que vejo um apreciador do negroni já conto a historia e receita do negroni, a diferença que tem em trocar um destilado substituindo por whisky a mudança que trás o prazer, Obrigado pelos postes mesmo que seja indiretamente você é como se fosse meu professor.

    Amo seu trabalho

    1. Caro Dimas, que demais receber este comentário! Muito obrigado por acompanhar o Cão – vocês são nosso combustível (tá, e bastante whisky) para seguir em frente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *