O Cão Sofisticado – Royal Salute 38 anos Stone of Destiny

Stone of Destiny

É engraçado que, apesar de estarmos aqui na Terra há centenas de milhares de anos, foi somente lá pelos últimos quinhentos que resolvemos descobrir e inventar quase tudo aquilo de importante que existe. Das viagens interoceânicas à estação espacial internacional. Cada século, cada década e cada ano tiveram sua importância única na humanidade. Bom, exceto pela década de oitenta. A década de oitenta foi um erro.

Para você ter uma ideia de como a humanidade evoluiu, destacarei apenas os últimos trinta e oito anos. Trinta e oito anos não parece ser muito. E, na verdade, para uma pessoa, não é. Se você nasceu na década de setenta, não se considere velho. Para um indivíduo saudável e bem cuidado, trinta e oito anos não faz a menor diferença. A Kate Beckinsale está aí para comprovar isso.

Mas trinta e oito anos para a humanidade é bastante tempo. Voltemos a 1977. Se você é fã de flashbacks, prepare-se para deleitar-se.

Há aproximadamente quatro décadas, nascia em Porto Rico uma banda que mudou o conceito de pop latino. Os Menudos. E ao mesmo tempo que a Apple lançava o mais moderno computador compacto do mundo, o Apple II, a indústria automobilística nacional inaugurava o saudoso Ford Corcel II, com o slogan “a nova geração do automóvel”. Enquanto isso, no cinema, o jovem George Lucas exibia o primeiro filme da franquia Star Wars. Mas em 1977 Ayrton Senna já corria. Foi naquele ano que venceu o campeonato sul-americano. O campeonato sul americano… de kart. 

Clássico
Clássico

Então, quando soube que iria experimentar um whisky com trinta e oito anos de maturação mínima, fiquei nervoso. E trinta e oito contados de seu lançamento, em 2005. Eu não era nem um embrião quando os grãos de cevada do whisky mais jovem daquele blend começaram a germinar. Quando nasci, os single malts que o compõe já descansavam por certo tempo em suas respectivas barricas, em respeitadíssimas destilarias escocesas, como Strathisla e Glenlivet. Aquele era o Royal Salute 38 anos Stone of Destiny.

O Stone of Destiny foi lançado pela Royal Salute, marca de whiskys super-premium da Chivas Regal, em 2005. E como quase todo blended whisky, sua composição é um segredo. Entretanto, pode-se especular que seu principal malte seja o Strathisla. Considerando sua idade, imaginava que o sabor da madeira tivesse tomado por completo o whisky. Mas não é bem o caso. O Royal Salute 38 anos é equilibradíssimo, com aroma bastante floral, e sabor de caramelo e frutas secas. O álcool está lá, mas em perfeita harmonia. Não há nada nele fora do lugar.

O marketing por trás deste blend é interessante. Seu nome presta homenagem à Stone of Destiny, também conhecida como Pedra da Coroação, um bloco de arenito, usado por muitos séculos durante as cerimônias de coroação dos monarcas escoceses, e, mais tarde, da Grã-Bretanha. A garrafa de cerâmica – feita a mão pela Révol, na França – possui insígnia folhada a ouro, e presta homenagem àquela pedra. E vá por mim, a garrafa é bem mais bonita do que a Stone of Destiny original.

Decepção
Decepção

O Royal Salute 38 anos é um blended whisky excepcional. É complexo, ainda que muito equilibrado. Da apresentação da garrafa ao sabor residual, beira a perfeição. Além disso, é um whisky que certamente agradará a grande maioria dos consumidores que tiverem a oportunidade de prova-lo. O único problema é seu preço.

A garrafa de 750ml do Stone of Destiny custa, nas lojas brasileiras, em torno de R$ 3.500,00 (três mil e quinhentos reais). É bem caro. Com esse dinheiro é possível comprar cinco garrafas do Royal Salute 21 anos, que já não é barato. Ou mais de dez Chivas Regal 18 anos. Ou – se você tiver bastante espaço na sua estante – aproximadamente vinte e cinco unidades do Chivas Regal 12 anos. O que significa, numa conta porca, que cada dose do Stone of Destiny corresponde a mais de uma garrafa de Chivas 12!

Como opção, existe também um frasco menor, de meio litro, que é vendido somente nos duty-free shops de aeroportos internacionais, e sai por menos de quinhentos dólares. É o mesmo whisky. Pela metade do preço.

Apesar de ser fantástico, é difícil avaliar se o Stone of Destiny realmente vale a pena. Seu preço o coloca em um patamar em que a decisão de tê-lo passa a não ser mais racional. Ele faz parte daquele universo de produtos exclusivíssimos, expostos no centro das vitrines. Para um colecionador, simplesmente tê-lo é quase tão bom quanto prová-lo. O Stone of Destiny é pura demonstração de poder pela Royal Salute. Seu objetivo principal não é ser bebido, ainda que esse seja o meio para que ele atinja seu real propósito: mostrar quão perto esta marca pode chegar da perfeição.

ROYAL SALUTE 38 ANOS STONE OF DESTINY

Tipo: Blended Whisky 38 anos

Marca: Royal Salute

Região: N/A

ABV: 40%

Notas de prova:

Aroma: Frutas secas, caramelo, panetone. Leve aroma de couro.

Sabor: Frutado, e ao mesmo tempo amargo, que progressivamente vai se tornando mais doce. Sabores de açúcar queimado, caramelo, frutas secas e cacau. Final longo, picante, e com leve baunilha.

Com água: adicionando-se um pouco de água, o sabor frutado fica ainda mais evidente, inclusive no sabor residual. O amargor diminui, assim como o gosto residual de baunilha.

Preço: 750ml – em torno de R$ 3.500,00 (três mil e quinhentos reais) / 500ml – em torno de US$ 450,00 (quatrocentos e cinquenta dólares).

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *