Ward Eight – Sufragistas

A variedade é o que dá tempero a vida. Pense, por exemplo, no brigadeiro. O docinho, aquele, com leite condensado, chocolate e manteiga. Hoje tem brigadeiro de tudo. Laranja, doce de leite, macadamia, nozes, nutella, pistache. Tem até brigadeiro de outros doces, tipo brigadeiro de pé de moleque e brigadeiro de beijinho, que é um negócio que eu nunca vou entender. E brigadeiro de brigadeiro mesmo, só que com uma miríade de chocolates. A quantidade de variações é tão grande que justifica – mais ou menos – a existência de um dispensário exclusivo da guloseima. As brigaderias.

Mas antes de se tornar uma classe inteira, o brigadeiro era apenas um doce. Um doce com viés político. Ele fora criado por Heloísa Nabuco de Oliveira, uma senhora que apoiava a candidatura do Brigadeiro Eduardo Gomes à Presidência da República de 1946. A criação tinha tudo a ver com o momento histórico – por conta da Segunda Guerra Mundial, produtos frescos ainda rareavam nas prateleiras dos mercados. E, por isso, o doce foi concebido com leite condensado – um substituto que começara a ser comercializado na década de 40.

O brigadeiro era servido nas festas dos correligionários e cabos eleitorais de Gomes, e de porta em porta, para divulgar sua candidatura. A eleição de 1945, aliás, era a primeira que contava com voto feminino. E, por isso, o partido do brigadeiro lançou um slogan de gosto e baseado em valores duvidosos – “Vote no brigadeiro, que é bonito e solteiro“. Apesar dos esforços tanto na frente da misoginia quanto da pâtisserrie, o militar perdeu as eleições. E o país ficou com a melhor parte de seu legado – uma deliciosa bolinha de chocolate envolta em granulados.

Herança política

Na história da coquetelaria, há também um caso muito parecido com o do brigadeiro. É um coquetel chamado Ward Eight. A criação do Ward Eight é debatida. Sabe-se que ele foi criado na virada do século vinte em Boston. A história mais aceita é que o drink surgiu em 1898 no Locke-Ober, e foi batizado em referência ao oitavo distrito da metrópole (8th Ward). O coquetel surgiu das mãos do bartender Tom Hussion, quando seu chefe Martin Lomasney concorreu à prefeitura do distrito. E venceu. A história, aliás, é material para um belo film-noir. Há inclusive uma subtrama, com representantes de Lomasney entregando cédulas pré-preenchidas na boca das urnas.

O Ward Eight é, basicamente, um whiskey sour, com um poquinho de grenadine – também conhecido como xarope de romã. Assim como o brigadeiro, há infinitas variações para o coquetel. Do serviço aos ingredientes. Algumas variações pedem por uma taça coupé sem gelo, com tudo misturado. Outras, por um copo alto com bastante gelo e o grenadine no fundo, à moda de um sunrise. A diversidade é tão grande que a única linha imaginária que poderia de alguma forma ligar tantas versões é o uso de whisky – que não é necessariamente americano – grenadine e algum cítrico Se bem que, às vezes, nem isso, porque tem versões sem cítrico.

Existe aqui um ponto importante sobre o coquetel. O xarope de romã. O equilíbrio de seu drink dependerá, essencialmente, do grenadine utilizado. E a melhor alternativa não é, na maioria das vezes, viável: fazer seu xarope artesanalmente, utilizando melaço de romã, água, açúcar e um tantinho de vodka. Para evitar que você, querido leitor, morra de tédio enquanto eu descrevo a produção desta iguaria adocicada, darei um conselho quiçá preguiçoso. Compre pronto, mas use com consciência. Dependendo do xarope, um sabor de bala – a lícita – poderá aparecer. Se for o caso, tente mudar o Grenadine. Usei o Marie-Brizard com bons resultados.

Vamos à receita.

WARD EIGHT

INGREDIENTES

  • 60ml rye whiskey (este Cão usou Jim Beam Rye)
  • 25ml (isso é 3/4 de dose) de suco de limão siciliano
  • 25ml de suco de laranja
  • 5ml de simple syrup (xarope de açúcar 2:1)
  • 5ml de xarope de grenadine
  • parafernália para bater

PREPARO

  1. Adicione os ingredientes (menos o grenadine) em uma coqueteleira com gelo. Bata vigorosamente
  2. Desça o conteúdo em um copo à sua escolha, com ou sem gelo, do tamanho e do formato que você quiser. Do jeito que esse drink é, você nem precisa usar copo. Pega um vaso, um prato fundo de sopa, sei lá.
  3. Finalize com grenadine.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *