Arroz de frutos do mar com whisky

Recentemente viajei para Portugal com a Cã. A viagem foi bem legal, bebemos vinhos ótimos e conhecemos lugares maravilhosos. Mas o que a gente mais fez lá foi, seguramente, comer. E é engraçado, porque os portugueses tem a mesma obsessão culinária que eu – tudo que vem do mar. Deve estar impresso no código genético de alguma forma.

Naturalmente, aproveitei para experimentar algumas coisinhas inéditas. Como, por exemplo, ligueirão – que é um bicho compridinho, que parece mexilhão de sabor e textura. E percebes, que além do nome curioso, é outro molusco estranho – visualmente, parecem várias mini-patas de triceratops. E, óbvio, lampréia, aquela sanguessuga enorme cheia de dentes. Que eles tradicionalmente fazem com um molho de vinho maravilhoso, para evitar que você pense que está a comer uma sanguessuga enorme cheia de dentes.

Delícia

Quando voltei para o Brasil, permaneci por algum tempo com a chavinha da obsessão ligada. E resolvi arriscar alguns pratos que havia provado lá. Dentre eles, um arroz de frutos do mar, que eu tenho apenas uma vaga lembrança do original, por motivos de vinhos do douro e do Porto. De toda forma, usurpei a memória que tinha e a adequei para minha habilidade culinária – que beira a de um cachorro bêbado. Foi assim que surgiu o prato que ora lhes apresento – O arroz de frutos do mar com whisky.

Minha esposa, a querida Cã, diz que isso não é um arroz de frutos do mar, mas sim uma paella. Eu discordo. Eu não sei fazer paella. Além disso, chamar o prato de arroz de frutos do mar ao invés de “paella” reduz as expectativas e evita que alguém arrisque comparar com aquelas paellas maravilhosas provadas em restaurantes espanhóis. Então, se alguém disser que é paella, negue. Vamos à receita.

INGREDIENTES

  • 4 colheres de sopa de azeite
  • 400g de Frutos do mar congelados – Lula, mariscos, polvo etc. Existem kits disso no supermercado, mas, se você tiver tempo livre, pode comprar tudo separado. Eu não comprei. Descongele antes.
  • 1 cebola picada a la brunoise
  • 3 dentes de alho picados
  • 2 xícaras de chá de arroz integral (é mais fácil de não errar. Mas pode ir no arroz normal)
  • 1 colher de chá de cúcrcuma
  • 1 xícara de chá de passata (você pode também fazer suco de tomate, fica ótimo!)
  • 3 xícaras de chá de água
  • sal, pimenta, salsinha e o que mais você quiser de tempero.
  • 60ml de bourbon whiskey para flambar
  • 120ml de whisky para a receita – pode ir de bourbon, ou, se estiver sofisticado, um whisky vínico.
  • 2 colheres de sopa de vinagre de jerez (eu usei Fernando de Castilla)
Percebes: não tem na receita, mas eu sei que você ia googlar

PREPARO:

  1. Adicione o azeite em uma panela funda ou wok.
  2. adicione os frutos do mar descongelados e refogue rapidamente.
  3. Adicione a cebola e o alho, misture tudo, e refogue por mais uns dois minutos
  4. adicione o bourbon para flambar. Dê uma leve viradinha na panela (com wok fica mais fácil!) para pegar fogo. Quando isso acontecer, fique longe para não se auto-imolar e mexa a panela para que tudo seja flambado por igual.
  5. Adicione seus temperos. Eu tenho aqui uma espécie de tempero cajun, que eu acho maravilhoso em tudo, e isso nessa receita. Pode colocar também a cúrcuma. Mexa tudo
  6. Adicione o tomate e as xícaras de água. Tudo junto. Pode colocar um pouco de sal aqui.
  7. Coloque o arroz e mexa tudo.
  8. Deixe reduzir e cozinhar o arroz. Lá pelos dez minutos, adicione whisky. O alcool vai evaporar e subir o aroma do barril.
  9. Quando estiver bem perto de ficar seco – lembre-se, não é um risoto, é um arroz. É pra ficar meio seco – adicione o vinagre e mexa novamente. A ideia é trazer acidez. Se você não gosta, vá sem. Pode substituir por limão siciliano também, na finalização do prato.
  10. Sirva com uma dose do seu bourbon favorito ou um single malt vínico!

OPCIONAL: COM POLVO

Talvez você tenha notado o enorme molusco na foto de introdução do post. Se estiver se sentindo sofisticado e qusier arriscar, pode fazer. Basta colocar dois tentáculos de polvo na panela de pressão com uma cebola e uma colher de chá de sal. Deixe na pressão por uns 20 – 30 minutos e abra. Se a cebola estiver desmontando sozinha, é sinal de que o polvo está bom. Dê uma leve chapeada e sirva junto, com azeite.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.