Dia dos Namorados com Whisky – presentes e eventos

Eu não quero que você queira porque eu quero. Eu quero que você queira porque você quer de verdade. Foi assim que terminou uma discussão de aproximadamente cinco minutos entre eu e minha querida Cã. O quase trava-línguas, proferido por ela, não dava muito espaço para réplica. Não importava ter boas intenções, eu tinha que querer de verdade.

A contenda começou com ela perguntando se eu queria sair pra jantar no dia dos namorados. Respondi, com toda minha pragmaticidade, que não. Que eu preferia demonstrar meu amor por ela por meio da gastronomia nos outros trezentos e sessenta e quatro dias do ano – quando não tem fila e bacalhau pelo dobro do preço. “mas então a gente não vai comemorar?” indagou ela, já num tom inquisitivo. “Podemos, não quer que eu cozinhe?“. “Você cozinha quase todo dia. Aliás, seu presente tá comprado, e o meu?

Meu silêncio me condenou. Faltavam ainda duas semanas pro dia dos namorados. Meu horizonte de planejamento de vinte e quatro horas não tinha chegado lá ainda. Acenei negativamente com a cabeça dei um sorrisinho doloso.” Acho que a gente podia ir naquele português que você ama, pensando bem.”. E foi aí, nesse momento, que ela respondeu com aquela frase. Como dizem os falantes da língua saxã: Drop. The. Mic

Tem que querer.

Não importava o que eu fizesse em seguida. Ou no dia 12. Se saíssemos pra jantar, era porque ela estava me obrigando. Se ficássemos em casa, era porque eu não me importava. Nem o mais ardiloso negociador profissional conseguiria encontrar consenso aqui. Meu dia dos namorados já fora liquidado. Mas nem tudo estava perdido. A controvérsia serviu para lembrar do dia – e tentar salvar a vida amorosa de vocês, queridos leitores. Tenham vocês ou não uma vida amorosa.

Assim, separei algumas idéias de eventos, programas e bebidas para dar – e receber – de presente nesse Dia dos Namorados. Do intimista ao hiperativo. Da solteirice ao matrimônio perene. Mas, atenção. Não pode querer porque ele ou ela quer. A lista só funciona se você quiser de verdade.

Clima casa e cobertor

Todo mundo conhece o provérbio do raio que cai no mesmo lugar. Com o dia 12, isso é bem verdade. Uma vez, esqueci completamente da data – e a Cã também. Por sorte, eu lembrei antes, e aí propus fazermos uma degustação de whiskies e vinhos do porto com queijos. Ela amou e ainda ficou super impressionada com minha capacidade de planejamento de última hora. Infelizmente, não tive a mesma fortuna este ano.

Para organizar o programa, é fácil. Escolha três a quatro queijos e três ou quatro bebidas que vocês gostam. Peça para sua melhor metade escolher alguns, e você outros. Dicas infalíveis – bourbon whiskey funciona com queijos como parmesão e Grana Padano. Whiskies defumados vão bem com queijos azuis, como stilton e gorgonzola. Camembert e Brie vão bem com whiskies vínicos.

Aqui no QG do Cão, a Queijaria Rima – especializada em queijos de ovelha – tem dois maravilhosos. O Araritaguaba lembra um pecorino. O Avecuia, um camembert. A Fazenda Atalaia tem um queijo azul incrível, chamado Alvorada, que fica ótimo com Talisker ou Port Charlotte 10. Na duvida, dá um pulo na Queijaria.

Clima tô solteiro / solteira

Vamos combinar uma coisa. Amor próprio é um troço super importante nos dias de hoje. É como diz o coach, se você não se amar, ninguém vai. Então, nada mais justo do que se autopresentear também.

Discuta consigo mesmo o que você quer fazer. Uma das maiores vantagens da solteirice é que você não precisa planejar muita coisa. Basta decidir e realizar. O que, pensando bem, às vezes é a parte mais difícil, porque você fica indeciso se quer comprar um whisky, sair pra beber, assistir um filme ou fazer um whisky carbonara e comer sozinho só porque você pode.

Minha recomendação: compre um Yamazaki Distiller’s Reserve e deguste na companhia de um bom filme. Aproveite para atualizar a biblioteca cinematográfica. Vá em Benedetta do Verhoeven, Licorice Pizza do Paul Thomas Anderson ou – pra algo mais light – On The Rocks da Sofia Coppolla. Quer ver gente? Beba até a vontade passar, ou vá a algum bar e peça um coquetel com whisky.

Clima namoro à distância

Meu pai costuma dizer que a proximidade é o que mais afasta os casais. Não vou me pronunciar sobre a declaração, sob pena de retaliação. Mas posso dar dicas para aqueles afortunados que mantém um relacionamento a uma distância saudável. Aqui, um presente especial parece caber perfeitamente. Se quiser impressionar, vá no novo Royal Salute Polo Estancia, ou no Royal Salute Edição Especial do Ano Novo Chinês. A apresentação é maravilhosa, e o líquido, à altura.

Prefere algo um pouco mais acessível? A Drinks and Community, website oficial da Pernod-Ricard, possui alguns kits especiais, de gins e whiskies, para presentear. O link acima dá acesso ao site apenas para convidados, com alguns preços bem bacanas.

Clima experiências novas

Gente, se você quer saber sobre experiências realmente novas, talvez aqui não seja o lugar certo. Afinal, é apenas um blog de whisky. Mas para experiências novas na área gastronômica, aí vai uma dica que é também um jabá. Mas, com propriedade. Compre uma vaga em alguma degustação de whiskies no Caledonia, nosso bar de São Paulo. Há diversos temas diferentes – e elas acontecem quase toda semana.

Se preferir algo menos acadêmico, o Caledonia também está com uma nova carta de coquetéis por tempo limitado, para comemorar o mês do Whisky. São cinco drinks com The Glenlivet e Chivas Regal. Destaque para o maravilhoso Bee Sting, que leva Glenlivet Founder’s Reserve infusionado com chá defumado Lapsang Souchong, xarope de mel, fernet branca, suco de bergamota e creole bitters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.