Bacardi Reserva Limitada – Um rum com alma de whisky.

Certa feita, comentei um pouco sobre o simpático canídeo fotografado na página inicial deste infame blog. O Maverick, meu querido cão de estimação. Na oportunidade, contei que o Maverick nasceu cachorro, mas com alma de gato. O que pouca gente sabe, entretanto, é que possuo outro animal, com o problema diametralmente oposto. Um gato que acha que é cão.

Seu nome é Byron – em homenagem ao fidalgo escritor maldito. E, assim como ele, o Byron tem umas obsessões esquisitas. Mas, no caso do felino, a fixação não é sexual. Mas é por fones de ouvido. Só de ver um fone de ouvido, o Byron já fica louco para destroçá-lo em milhares de pedaços – uma atividade que desperta em mim doses iguais de desespero e ódio.

Mas isso não importa. O que importa, é que ele acha que é um cachorro. Ele nos recepciona na porta, quer ficar sempre junto, ama lamber nossas mãos e adora, de idolatria, a ração canina que o Maverick despreza. O Byron, por fora, é um gato. Mas, por dentro, há aquele coração inconsequente brincalhão de todo canídeo. Ele é o gato perfeito para qualquer um que ama cachorros.

Tá, não exagera.

Se fosse um rum, o Byron seria, muito provavelmente, o Bacardi Reserva Limitada. Lançado recentemente pela Bacardi no Brasil, ele é o rum com mais alma de whisky que já tive o prazer de provar.

Mas as semelhanças não são meramente sensoriais. Assim como muitos whiskies, o Bacardi Reserva Limitada é maturado em barricas de carvalho americano que antes contiveram bourbon whiskey. A maturação leva, em média, doze anos. O que pode parecer pouco no universo dos scotch whiskies. No entanto, deve-se lembrar que, ao invés das temperaturas agradavelmente gélidas da Escócia, tem-se o escaldante sol caribenho, que acelera bastante o processo de amadurecimento.

Inicialmente, o Bacardi Reserva Limitada era reservado para a família de Facundo, fundador da Bacardi. Sua produção comercial se iniciou timidamente em 2003. Porém, era necessário ir a Porto Rico para se comprar uma garrafa. Em 2010, no entanto, o rum passou a ser disponibilizado mais amplamente. E agora finalmente chegou ao Brasil oficialmente.

Além do Reserva Limitada, a Bacardi lançou mais duas novas expressões em nosso país. O Añejo 4 anos – desenvolvido especialmente para coquetelaria – e o Añejo 10 anos, posicionado um pouco acima da outrora coroa da marca no Brasil, o Bacardi Ocho. Além destes, há ainda os conhecidos Carta Blanca e Carta Oro.

Parte do novo portfólio da Bacardi

Sensorialmente, o Bacardi Reserva Limitada apresenta notas de coco, caramelo, açúcar mascavo e laranja. O final é longo e traz um delicioso sabor de frutas. O álcool – a 40% de graduação – é contido e bem discreto. Os aromas e sabores são delicados e equilibrados. Nada nele é excessivo ou tenta roubar a cena. É um rum que prima pela delicadeza e pelo equilíbrio. De certa forma, o tema aqui me lembrou o Dewar’s 25 anos – um blended scotch super-premium, que também preza pela complexidade sem exageros.

Se você é apaixonado por whiskies, o Bacardi Reserva Limitada é o seu rum. Ele atenderá as expectativas até dos mais sofisticados apaixonados pela bebida tipicamente escocesa. Não importa se você é um apaixonado por cães ou uma cat-person.

BACARDI RESERVA LIMITADA

Tipo: Rum

Marca: Bacardi

País: N/A

ABV: 40%

Notas de prova:

Aroma: adocicado e frutado, com couro.

Sabor: leve e extremamente delicado. Muito equilibrado, com coco, caramelo, açúcar mascavo e laranja. Final longo e frutado, com um pouco de couro.

Preço: R$ 750,00 (setecentos e cinquenta reais)

*a degustação do rum tema desta prova foi fornecida por terceiros envolvidos em sua produção. Este Cão, porém, manteve total liberdade editorial sobre o conteúdo do post.

6 thoughts on “Bacardi Reserva Limitada – Um rum com alma de whisky.

  1. Quando vi a postagem no Instagram fiquei feliz de poder ter um rum de qualidade no Brasil. Estou começando a me aventurar no mundo do rum para acompanhar charutos, mas nesse preço, sinceramente…..tem muito, mas muito single malt que certamente não farão feio! Nesse valor, nem experimento.

    1. Fred, então tente o Bacardi 10 e o Ocho. Os dois terão preço bem mais amigável – entre 150 e 250 reais. E são excelentes

  2. Nesse preço da para comprar um macallan no auge de sua adolescência com 15 aninhos e outros single malts com essa rebeldia de idade..

    1. Verdade, Ricardo. Mas aí, é questão de escolhas, porque são animais muito diferentes para serem comparados. O que é melhor, uma Mercedes-Benz classe S, uma Land Rover Velar ou um Porsche Carrera? Bem, depende para quê, né? 🙂

  3. Como mencionei anteriormente, eu gosto de rum, mestre. Ainda que prefira whisky hahaha.
    Aproveitando a oportunidade mestre, tendo em vista que dentro de algum tempo meu Black Rock vai acabar, estava pensando em subir alguns degraus… pensei no Bowmore 18y, porém existe o Bowmore 18 deep and complex que é cerca de 200 Bolsonaros mais barato. Todavia, vi um pessoal falando muito bem do White Sands 17y. Ainda que a solução mais lógica fosse comprar os 3, o senhor teria uma sugestão que não vá me destruir economicamente?
    Grande abraço!

    1. Compre os 3. Todo Bowmore é amor engarrafado.

      Brincadeira. Sou um Bowmore-fan. Mas, mas, entre os três, fico com o Deep and Complex. Mais do que o 18yo normal. Depois, 18, e, por último, White Sands. White Sands para falar a verdade não é genial. É apenas um whisky levemente defumado e maturado em bons barris de carvalho americano de ex-bourbon.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *