Drink Drops – Boilermaker

Quando comecei a beber, meu pai me deu um conselho de ouro sobre como não ficar bêbado. Alternar um gole da bebida com um gole de água. É uma estratégia simples, mas que realmente dá resultado. O álcool desidrata o corpo, e a água é a melhor aliada na briga para reidratá-lo. Com essa dica, poderia passar horas bebendo moderadamente sem sofrer as sórdidas consequências da ressaca.

Uma vez, lendo uma crônica do Luiz Fernando Verísismo – de verdade, não o Luiz Fernando Veríssimo que as pessoas compartilham no Whatsapp – vi que ele tinha a mesma estratégia que eu. E o mesmo desafio. “Tomar um copo de água entre cada copo de bebida – O difícil era manter a regularidade. A certa altura, você começava a misturar a água com a bebida, e em proporções cada vez menores. Depois, passava a pedir um copo de outra bebida entre cada copo de bebida“. Nesse estágio, não sei qual era a pedida do Veríssimo.  Mas minha sempre foi whisky e cerveja. Às vezes ao mesmo tempo.

e depois fazer yoga

Naquela época eu nem sabia, mas esse hábito – de beber um copo de whisky junto com um de cerveja – é bem comum. E tem até um nome. Boilermaker. Apesar do título deste post, acho que o Boilermaker nem poderia ser considerado um drink. Ou um coquetel. Porque ele é simplesmente isso: combinar um golinho de whisky com um de cerveja. O boilermaker é como a felicidade para os livros de autoajuda: não tem receita.

No Reino Unido, o Boilermaker é a combinação de alguma cerveja em pint, normalmente vendida na temperatura ambiente em algum pub, com uma dose de algum whisky bem leve. Nos Estados Unidos, é a união entre uma cerveja suave com algum bourbon ou rye whiskey. Mas para falar bem a verdade, não há muitas regras. O boilermaker é um hábito, não uma regra.

Mas há aqui uma oportunidade de ouro, que, na visão deste Cão, normalmente é desperdiçada. Uma oportunidade que a gourmetização do mundo começou agora a abraçar. A da harmonização. Harmonizar – de forma proposital e não apenas por pura preguiça – whiskies e cervejas. Por suas características sensoriais mesmo.

Este Cão fez uma série de testes. Porters leves com single malts puxados para jerez são algo de outro mundo. Assim como barleywines e whiskies defumados. Mas talvez por conta das temperaturas cada vez mais escaldantes desta inconveniente época do ano, a mais agradável e fácil foi, também, a menos pretensiosa. Uma summer ale – mais especificamente a recém-lançada Maniacs Summer – com Jameson. Jameson Caskmates, para não facilitar muito também.

A Maniacs – com sabor levemente puxado para o amargo, pouco corpo e boa carbonatação funcionou muito bem com o irish whiskey – cujo final também é curto e amargo. Mas o legal aqui é testar. Algo tão prosaico como um boilermaker, no fundo, pode conter um milhar de possibilidades. Experimente. Mas lembre-se sempre da regra áurea. Um copo de água, um de cerveja, um de água, um de whisky, um de cerveja, um de whisky, dois de cerveja…

…ou algo assim.

 

 

 

10 thoughts on “Drink Drops – Boilermaker

  1. Em filmes e seriados sempre aparece alguém bebendo cerveja, com um copo de shot de algum bourbon. Isso tem nome, então… rs.

  2. Recebi o mesmo conselho, mestre, mas foi do meu avô (in memoriam), o qual gostava muito de whisky.
    Vou arriscar o boilermaker qualquer dia.

    Abraço!

  3. Grande Cusco! Poderia me ajudar? Que tipo de cerveja harmonizaria com um Chivas 12 anos? E com um Singleton of Glen Ord? Valeu! Abraço!

  4. Olha só que interessante! Eu não sabia que isso tinha um nome. Esses dias comprei uma garrafa de Rauchbier e queria algo especial pra acompanhá-la. Resolvi preparar uma receita de bacon assado com cobertura de chocolate amargo. Como tinha em casa uma garrafa de Jim Bean que particularmente acredito harmonizar muito bem com chocolate amargo, resolvi provar os três ao mesmo tempo. E não é que o resultado foi bom?
    Agora que conheço um pouco mais sobre o Boilermaker, terei que fazer mais experiências dessas!

    1. Viu só, agora voce já pode nomear sua criação espontânea! Vá testando, e depois conta quais você mais gostou.

  5. Mestre de Mestre! Mais um texto superlativo! En essa fusao de Lindas maltas, ha um drink pelo menos eu conheco como “Sex Doll” que tem bourbon, cerveja tipo holandesa e no topo casquinha de sorvete de baunilha ou creme. Tem de tudo no arte da mixologia. Sucesso e good weekend

    1. Opa, gostei dessa dica. Mas calma – vai um sorvete de casquinha inteiro?

      (mestre dos mestres nada, apenas um bebado que gosta de compartilhar experiencias!)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *