(mais que um) Drops – Jameson Caskmates

jameson-caskmates-o-cao-engarrafado

Goiabada e queijo, hot dog e mostarda, limão e cachaça. Batata palha e estrogonofe, vermute e campari, linguiça e feijão. TPM e chocolate, Microsoft Windows e Ctrl + Alt + Del. Chuva e Netflix, hambúrguer e batata frita e bacon com absolutamente tudo. Há coisas que foram criadas para combinarem, involuntariamente, com outras. Coisas cujo resultado é maior do que a soma das partes. O melhor exemplo no mundo do whisky é o Jameson Caskmates e a cerveja Franciscan Well.

O desenvolvimento do Jameson Caskmates foi muito semelhante àquele do Glenfiddich IPA Experiment. Ele teria surgido de uma conversa entre dois amigos de longa data, Shane Long, mestre cervejeiro da Franciscan Well Brewery, e Dave Quinn, o mestre de ciência de whisky da Jameson. Shane queria produzir uma cerveja escura que fosse maturada em barricas de whiskey. Assim, teria pedido a seu amigo, Dave, que lhe emprestasse alguns barris para a experiência.

Quinn concordou e cedeu a Shane algumas barricas de carvalho americano de primeiro uso, que teriam sido usadas para maturar Jameson. O mestre cervejeiro, então, após produzir sua cerveja e maturá-la nas barricas cedidas, as devolveu para a Jameson. Ao recebê-las, Quinn não sabia bem o que fazer. Porque apesar de serem barricas relativamente novas, a utilização pela cervejaria poderia tê-las inutilizado. Resolveu, no entanto, que arriscaria preencher algumas com Jameson – a expressão de entrada da linha – para ver o que poderia acontecer.

A cerveja produzida pela Franciscan Well
A stout

Ao retirar o whiskey das barricas, Dave gostou tanto do resultado que resolveu criar uma edição especial. Nascia, assim, o primeiro lote de Jameson Caskmates. Aliás, tanto o whiskey quanto a cerveja fizeram tanto sucesso que, até hoje, há um tráfego constante de barris entre a destilaria irlandesa e a cervejaria.

Este Cão teve a oportunidade de provar o Jameson Caskmates em um lugar bastante apropriado, tratando-se de um whisky com vocação cervejeira. O Empório Alto de Pinheiros, bar recentemente eleito pela revista Veja Comer & Beber como o aquele com a melhor carta de cervejas de São Paulo. Com a participação de Cesar Adames e Paulo Almeida, foram provados também o Johnnie Walker Rye Cask e o Glenfiddich IPA Experiment.

Se comparado à expressão tradicional da Jameson – à venda no Brasil – o Caskmates é mais profundo e cremoso. Ainda é um whisky bem leve, mas ao invés da finalização levemente frutada e seca bem conhecida, há um certo sabor de caramelo e um fundo de café que é bem incomum. E ótimo.

Assim como os demais whiskies provados naquele dia, o Caskmates não virá para o Brasil. Mas ele pode ser facilmente encontrado em FreeShops de aeroportos internacionais, bem como lojas especializadas no exterior. O preço médio é bem convidativo, também. £26,00 (vinte e seis libras).

Se você é apaixonado por cervejas escuras, assim como por whisky, o Caskmates lhe surpreenderá positivamente. É um whisky com apelo tanto para os apaixonados por cervejas artesanais quanto whiskey irlandês. E, se você, como este Cão, adora os dois quase com a mesma força, então, meu caro, o Caskmates será sua alma gêmea.

JAMESON CASKMATES STOUT EDITION

Tipo: Irish Whiskey

Marca: Jameson

Região: N/A

ABV: 40%

Notas de prova:

Aroma: Frutado, adocicado, há um certo aroma doce, de açúcar queimado.

Sabor: Frutado, adocicado. Final com café, um pouco de esmalte, malte torrado.

Com água: A água ressalta o sabor de café

 

9 thoughts on “(mais que um) Drops – Jameson Caskmates

  1. Eu gosto bastante de Irish Whiskey.
    Não me importaria nem um pouco em provar esta expessão e traçar um comparativo haha.

    Grande abraço!

    1. João, nem o whisky. A gente só fez a prova lá. A cerveja não vem para o Brasil, e o whisky, só no Duty Free, se tiver sorte 🙁

  2. Bebi bastante esse Whiskey quando cursei meu intercambio em Dublin, e como amante de Guinness e irish whiskies. O Caskmates é perfeito, e de fato, o preço era tão doce quanto.
    Trouxe duas garrafas para o Brasil, uma dei para o meu pai, junto com um Bushmills, a outra eu tenho pena de abrir. Talvez no dia em que eu me casar ou que meu primogênito nascer. kkkkkkkk

    1. Perfeito, meu caro! Guarde, mas não guarde muito não. Um dia especial sempre será um dia especial. Já um dia ordinário pode se tornar especial. Basta escolher bem o que tomar….rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *