Drops – Bowmore 10 anos Tempest

Se amor à segunda vista existe no mundo do whisky, então, para mim, ele é a Bowmore. Antes de conhecer pessoalmente a destilaria, não tinha qualquer fascínio pelos seus maltes. A maioria deles me parecia uma tentativa defumada de agradar aqueles que não gostam do sabor enfumaçado. Seus nomes, como Darkest, Black, Tempest, Sea Dragon – soavam pretensiosos, e uma forma de demonstrar poder onde não havia nenhum. Mas, para falar a verdade, nunca havia me interessado pela Bowmore.

Bem, isso até visitar a destilaria e realmente enxergar de perto a meticulosidade na elaboração dos Bowmore. Da defumação da cevada até a escolha e mistura das barricas, tudo é detalhadamente pensado. Soma-se a isso o armazém de whisky mais antigo de toda Escócia – os famosos No. 1 Vaults – e mais de duzentos e trinta anos de experiência na produção de whisky. A Bowmore é a destilaria mais antiga da ilha de Islay, conhecida por produzir incríveis maltes enfumaçados. E o Bowmore Tempest é  um perfeito exemplo do melhor que Islay tem a oferecer.

A maturação do Bowmore Tempest acontece em barricas de carvalho americano que antes contiveram bourbon whiskey. São barricas de primeiro uso – ou seja, é a primeira vez que são utilizadas para maturar scotch whisky. Apesar disso, a influência da madeira é coadjuvante. O protagonista aqui é o destilado, com seu inconfundível sabor enfumaçado e iodado. Com sua graduação alcoólica de 55,1%, há uma certa agressividade – nada mais justo para uma garrafa batizada de tempestade.

Algo bem comum em Islay, aliás.

O Bowmore Tempest foi uma edição limitada, lançada em lotes. Ao todo, foram seis deles. Havia diferenças sensoriais bastante perceptíveis de um lote para o outro – algo feito propositalmente – mas todos giravam em torno do tema da fumaça e sal. O Tempest ilustrado na foto é o de lote No. 4.

A master blender da Bowmore é Rachel Barrie. Ela é a primeira mulher a ocupar a posição de master blender da indústria do whisky. Rachel é formada em química, e possui mais de vinte e um anos de experiência na criação de whiskies extraordinários. Em 1991, Barrie foi admitida no Scotch Whisky Research Institute depois de, durante sua entrevista de emprego, ter identificado perfeitamente mais de vinte fragrâncias diferentes, de piche a zimbro. De lá pra cá, trabalhou na Glenmorangie, e hoje capitaneia a criação dos whiskies das três destilarias sob o comando da Morrison Bowmore.

O Tempest é um single malt relativamente oleoso, extremamente enfumaçado, com pouca maturação e graduação alcoólica elevada. Uma combinação que poderia dar terrivelmente errado para a maioria dos whiskies, mas que funciona maravilhosamente bem para os single malts defumados daquela ilha. E ainda que o talento da Bowmore seja equilibrar o sabor de vinho jerez com a influência defumada da turfa, o Tempest é um whisky que não deve ser ignorado. Para os apaixonados por whiskies enfumaçados e picantes, o Bowmore Tempest será amor à primeira vista.

BOWMORE TEMPEST

Tipo: Single Malt com idade definida – 10 anos.

Destilaria: Bowmore

Região: Islay

ABV: 55,1%

Notas de prova:

Aroma: turfado e defumado. Sal, algas marinhas, fumaça.

Sabor: Início defumado e seco, bastante picante, com caramelo e madeira no fundo. O final é picante, turfado e enfumaçado.

Com Água: Adicionar água torna o whisky menos agressivo e deixa que a madeira fique mais aparente.

One thought on “Drops – Bowmore 10 anos Tempest

  1. Como vai, mestre?
    Me interesso muito por Islay de um modo geral, por motivos óbvios hahaha.
    Gostaria de provar um Bowmore. Sempre que li sobre eles, tive a impressão que a turfa era discreta, mas parece que me enganei, haja visto esta bela expressão.

    Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *