Bowmore Vintner’s Trilogy 18 – Manzanilla Cask – Drops

Talvez você seja um apreciador de vinhos. Ou, talvez, você goste apenas de whisky. Mas há uma coisa inegável. O mundo daqueles possui uma enorme influência no deste. Isso fica claro observando a quantidade de whiskies que possuem alguma espécie de maturação em barricas previamente utilizadas para vinho.

Um exemplo é o recente lançamento da Johnnie Walker aqui no Brasil – o Blender’s Batch Wine Cask. Outra, o maravilhoso Port Charlotte MRC:01, finalizado em barris de ex-Mouton Rothschild. Mas não apenas eles. Há uma miríade de maltes e blends envelhecidos em barricas de vinho de diferentes tipos, como jerez, porto, madeira e sauternes.

Barricas na Bowmore

Há, porém, uma certa dificuldade em se trabalhar com barricas de vinho quando se tem um malte predominantemente defumado. Em muitos casos, os aromas e sabores frutados daquele fermentado acabam sobrepujando o enfumaçado do new-make. E, em outros, é o contrário – a fumaça eclipsa a barrica e seu conteúdo prévio.

Encontrar um equilíbrio é difícil. Exige conhecimento e tempo. Mas isso, a Bowmore – a mais antiga destilaria da ilha de Islay – tem de sobra. Eles são reconhecidamente uma das destilarias que mais bem trabalha com essas influências aparentemente conflitantes.

Prova disso é a Vintner’s Trilogy, lançada ao longo do ano passado e retrasado pela empresa. É um trio de Bowmores que celebram a influência do vinho no universo do whisky. O mais jovem da tríade é o Bowmore 18 Manzanilla Cask, tema desta prova. Além dele, fazem parte da trilogia um Bowmore de 26 anos maturado em vinho tinto e um 27, em porto.

A maturação do Bowmore 18 Vintner’s Trilogy Manzanilla Cask é fracionada. Primeiro, o new-make spirit passa 13 anos em barris de ex-bourbon. Depois, seu conteúdo é transferido para barricas que previamente continham jerez manzanilla – um tipo de vinho jerez raramente utilizado por whiskies, cujas destilarias preferem Oloroso e PX – onde passa os cinco anos restantes. É uma finalização bem longa, para quaisquer padrões. Basta lembrar que, em comparação, a finalização do Glenmorangie Lasanta é de apenas dois anos.

O Bowmore 18 Vintner’s Trilogy Manzanilla Cask também possui uma graduação alcoólica bem generosa. 52.5%. É a mais alta da trilogia, contra 48,7% do 26 anos, e 48,3% do primogênito. Faz sentido, na verdade. À medida que o whisky matura, a tendência é que sua graduação alcoólica diminua. Assim, naturalmente, se houver pouca ou nenhuma diluição, as expressões mais maturadas serão menos alcoólicas.

A trilogia

Vou pedir licença aqui, para ignorar minha imparcialidade canina. Porque o Bowmore 18 Vintner’s Trilogy Manzanilla Cask é absolutamente incrível. É um whisky complexo, que apresenta notas frutadas, açúcar mascavo, gengibre, fumaça e turfa. O sabor seco do jerez manzanilla se equilibrou perfeitamente com a influência costal e turfada do malte.

Mas há um ponto negativo em relação a ele. Sua disponibilidade. O Bowmore 18 Vintner’s Trilogy não está à venda em nosso país. E se esgotou na maioria das lojas conhecidas do exterior também. O que prova que não importa muito se você é um enófilo ou um amante de whiskies. O
Bowmore 18 Vintner’s Trilogy Manzanilla Cask mostra que mesmo com as influências mais díspares, é possível produzir um whisky fantástico.

BOWMORE 18 VINTNER’S TRILOGY MANZANILLA CASK

Tipo: Single Malt com idade definida – 18 anos.

Destilaria: Bowmore

Região: Islay

ABV: 52.5%

Notas de prova:

Aroma: turfado e defumado, com frutas vermelhas e gengibre.

Sabor: Início picante e enfumaçado, que rapidamente se desenvolve para um frutado seco, com frutas vermelhas (mirtilo, talvez?) e carvão.

Com Água: Adicionar água ressalta os sabores frutados, e traz à tona um aroma cítrico muito agradável.

4 thoughts on “Bowmore Vintner’s Trilogy 18 – Manzanilla Cask – Drops

  1. Kilchoman Sanaig também faz um belo trabalho misturando influência vínica e o defumado.
    Achei muito interessante a relação deste Bowmore, mestre. Ainda mais, contando com uma idade definida e uma graduação generosa hahaha.
    Defumado e ex-sherry. O que mais se pode esperar? Que mandem um x-bacon junto do frasco?

    Grande abraço!

    1. Luciano, nem um pouco! O ABV alto e a maturação fracionada atrapalham bem, além dele ser bem defumado. Se a ideia for começar nos defumados, pegue algo mais tranquilo, como o Laphroaig 10 (que ja tem um belo nivel de defumaçao) ou Talisker 10

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *