Drops – Glen Scotia Double Cask

Glen Scotia - O Cão Engarrafado

Às vezes nomes infelizes escondem bons produtos. Foi o caso, por exemplo, do Ford Pinto. Um ótimo automóvel dos anos setenta. Quer dizer, ao menos as unidades que não entravam em combustão espontânea.

Não sei quanto a você, mas se eu não soubesse o que é um Pinto – sem trocadilhos aqui, veja que escrevi com “P” maiúsculo – daria simplesmente uma risada meio debochada, e pronto. Seguiria com a vida sem jamais prestar o devido reconhecimento – não sei bem por que – àquele automóvel. Este é o caso também do single malt Glen Scotia, cretinamente batizado de “vale escocês” em gaélico. Um nome óbvio e com todo ar de produto de segunda.

Mas, no caso do Glen Scotia, esta impressão não poderia estar mais equivocada. É que assim como Springbank, a Glen Scotia é uma das únicas três destilarias sobreviventes de Campbeltown, cidade que fora, por muito tempo, considerada a capital mundial do whisky. A região, que chegou a contar com trinta e quatro destilarias durante a década de cinquenta, hoje possui apenas três delas. Springbank, Glen Scotia e Glengyle. Esta última, ressuscitada apenas no começo deste século. O que, aliás, causa uma certa confusão entre os admiradores da região. Porque o single malt denominado Glengyle é, na verdade, produzido pela Glen Scotia, detentora dos direitos sobre o nome. E o single malt produzido pela Glengyle mesmo tem o nome de Kilkerran.

E aí vai mais uma curiosidade sobre a região. Se você é fã de Paul McCartney, provavelmente já ouviu Mull of Kintyre. A música foi escrita como tributo à península de Kintyre, onde está localizada Campbeltown. Até 1966, Paul McCartney possuía uma fazenda próxima à cidade, chamada High Park Farm. Pelo jeito Paul bebeu muito bem lá pelos seus trinta anos de idade. Provavelmente daí que vem o tom nostálgico da canção.

A fazenda de Paul(Foto: REX/Tom Farmer)

O Glen Scotia Double Cask está longe de ser um single malt genérico. Este pequeno notável ganhou prêmio de melhor whisky de Campbeltown em 2016. Nada mau, considerando que concorreu com três diferentes linhas de Springbank, e de Glengyle, ou melhor, Kilkerran. O nome desta expressão – Double Cask – vem de seu processo de maturação. new make spirit é primeiro maturado em barricas de carvalho americano que antes contiveram bourbon whiskey, para depois ser finalizado em uma combinação de barricas de ex-jerez e ex-bourbon usadas pela primeira vez para maturar single malt (first-fill). O resultado é um single malt adocicado e cítrico, que – para este Cão – lembra laranja lima. O final é progressivamente mais puxado para o jerez.

Infelizmente, nenhuma expressão de Campbeltown – muito menos os Glen Scotia – estão disponíveis em nosso país. Com um pouco de garimpo, entretanto, podemos encontrá-los em nossos vizinhos da América Latina, como o Chile e Uruguai. Além disso, Glen Scotias são uma visão relativamente comum em lojas especializadas na Europa e no Reino Unido. Por lá, uma garrafa deste single malt premiado custa, em média, GBP 50,00 (cinquenta libras).

GLEN SCOTIA DOUBLE CASK

Tipo: Single Malt sem idade definida

Destilaria: Glen Scotia

Região: Campbeltown

ABV: 46%

Notas de prova:

Aroma: cítrico, com mel, baunilha, laranja.

Sabor: Mel, laranja lima, com final relativamente longo e progressivamente mais cítrico. Um pouco de baunilha e especiarias no final. Álcool bem pouco notável.

One thought on “Drops – Glen Scotia Double Cask

  1. Campbeltown me parece cada vez mais interessante!
    Realmente espero que o Brasil um dia receba uma maior variedade de Whiskys, os quais muitas vezes já chegaram em nossos vizinhos por exemplo.

    Obrigado pelas dicas no e-mail!

    Abraços, meu amigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *