Especial do Cão – Jameson Bartenders Ball Pub Crawl

jameson pub crawl

Quando eu era criança, minha mãe me ensinou que eu deveria ignorar ofertas muito tentadoras. Essas que você até desconfia da veracidade, de tão incríveis que parecem. No auge da minha infância, poderia ser alguém oferecendo chocolate. Ou macarrão. Ou qualquer coisa comestível, no meu caso. Afinal, poderia ser uma pessoa tentando levar alguma vantagem. Algum mal intencionado. Ou pior, um sequestrador.

Na vida adulta, são aqueles e-mails de spam. Como aquele de uma ucraniana maravilhosa oferecendo amor eterno em troca de exílio em nosso país tropical. Ou aquele bilionário da Costa do Marfim que somente poderia confiar em você para esconder sua fortuna.

É como, certa feita, disse um amigo meu – queria viver em um mundo onde todo spam que recebo se torna automaticamente real. Eu seria milionário sem sair de casa, namoraria uma imigrante suíça e teria barriga tanquinho comendo sanduíche de calabresa todo dia. O único problema é que eu andaria o tempo todo curvado para frente…

Assim, nada mais natural do que o estranhamento que senti ao receber um e-mail com, mais ou menos, o seguinte conteúdo:

DE: JAMESON – Boa noite Cão. Gostaria de convidá-lo para participar do Jameson Pub Crawl, na próxima quinta-feira (7), a partir das 19h. Será um tour do “Jameson Bartenders Ball” em três bares participantes da competição (Bossa, Alberta e Riviera). Você gostaria de participar? Se sim, avise onde a van poderá lhe pegar. Obrigado.

Bartender’s Ball é uma competição internacional de bartenders, em que cada um deve criar um coquetel próprio, utilizando Jameson. No Brasil, quarenta e cinco casas entraram no concurso. Dentre elas, as três mencionadas no e-mail. Os coquetéis ficam disponíveis ao público até o dia 01 de maio. Depois desta data, um juri escolherá os melhores, que passarão para a etapa internacional do concurso.

Minha primeira reação foi imaginar que se tratava de spam. Mas havia meu nome. Então deveria ser um sequestrador. Um sequestrador muito inteligente, que sabia exatamente como me atrair. Um sequestrador com uma oferta absolutamente irrecusável. Tão irrecusável que, se fosse mesmo um sequestrador, não teria precisado esperar nem duas horas para receber uma resposta afirmativa minha.

Acontece que, para minha sorte – e contrariando os sábios ensinamentos de minha progenitora – o e-mail era legítimo. Assim, às dezenove horas daquela quinta feira, me surpreendi ao ver uma van com bexigas – sim, bexigas – da Jameson, encostando no ponto indicado por mim no e-mail. E foi assim que fui consensualmente sequestrado naquela quinta-feira para um promissor tour.

Bossa
O Irish Pleasure

A primeira parada foi no Bossa Restaurante Bar e Estúdio, onde fomos recepcionados por Juliana, embaixadora da Jameson no Brasil.

O Bossa, localizado em um espaço – realmente – impressionante na Alameda Lorena, é uma mistura entre um restaurante, um bar e um estúdio musical. Como este não é um blog sobre gastronomia ou artes audiovisuais, focaremos na parte que interessa. O balcão.

Para a competição, Jean Dall Acqua, conhecido bartender do Bossa, elaborou o Irish Pleasure, que leva praticamente um carrinho de supermercado de ingredientes tipicamente brasileiros: suco de limão cravo, bitter de alecrim, whiskey Jameson, um toque de mel temperado com tabasco e vinagre de maçã, finalizado com espuma de clara de ovo e rapas de semente de pixuri.

Este Cão conseguiu o incrível feito de finalizar o coquetel antes mesmo de terminar de ler a lista de ingredientes. E, inclusive – seguindo o conselho de Dall Acqua – comer a laranja desidratada. Refrescante e complexo, o Irish Pleasure é um coquetel que agradará a quase todos os gostos.

Após percorrermos, um pouco cambaleantes, o corredor externo do lindíssimo prédio, seguimos para o segundo destino. O Riviera. Localizado na esquina da Rua da Consolação com a Avenida Paulista, o restaurante/bar conta com cardápio do renomado chef Alex Atala, que recriou pratos do antigo bar homônimo, que funcionava naquele espaço desde 1949.

Por lá, o responsável pela criação do coquetel foi Vinícius Gomes. Seu Barrel Cocktail leva Jameson, Licor de cereja e laranja e dois tipos de angostura – natural e com laranja. É um coquetel frutado, mas ao mesmo tempo, complexo, com especiarias e laranja. O sabor adocicado e de baunilha do whisky irlandês casou perfeitamente com o cherry heering e os bitters. Um coquetel clássico e elegante, como sua casa. O Barrel Cocktail foi unanimidade entre os presentes.

Riviera
Barrel Cocktail

A terceira e ultima parada foi no Alberta #3. Localizado na Avenida São Luiz, no centro da cidade de São Paulo. Ao som de rock acústico e sob luz baixa – aliás, bem baixa – tivemos a oportunidade de experimentar o  Liffey, elaborado por Barbara Salles. Dessa vez, o tema era laranja. O coquetel do Alberta ofereceu um belo contraponto àquele do Bossa. Enquanto o último é cítrico, à moda de um whisky sour, o primeiro é bastante adocicado.

Ao final do passeio, as impressões de todos foram as mesmas. Em primeiro, que São Paulo está muito bem servida quando o assunto é coquetelaria. E, em segundo, que o Jameson Irish Whisky é ótimo para se tomar puro ou com gelo, mas é também excelente para preparar drinks. É um whiskey versátil, que funciona bem em coquetéis amargos, cítricos ou adocicados.

alberta3
Liffey

Se estiver pensando em vistar qualquer uma das casas até o dia primeiro de maio, não deixe de pedir o coquetel que faz parte da competição. Além dos provados naquela noite, este Cão teve – por conta própria – a oportunidade de degustar os servidos no Mori Sushi Ohta e Z Carniceria. E talvez por sorte, ou talvez por conta da qualidade do whisky e dos bartenders, este Cão ficou extremamente surpreso. Todos ótimos dentro de suas propostas.

Além dos bares visitados, o Jameson’s Bartenders Ball conta com mais quarenta e duas casas. São elas: Grão, em Bauru, Bar do nicola, Iff Bar, Piola Cambuí e Lord’s Pub em Campinas, Arpoador, Casimiros, Goa Lounge e Nuit em Ribeirão Preto, Só Santo, em Santo André, Butreco Butiquim e Casa Berolli em São José do Rio Preto; Barltazar em Votuporanga e, em São Paulo, Aurora, Bababa Café, Blue Pub, Brexó, Camdem House, Cão Veio, Casa 92, Gracia Bar, Jet Lag Pub, Johnnie Wash, Mori Sushi, Quintana, Republic, Rey Castro, Rhino Pub, Riviera, Sarau, Seu Justino, Skull Bar, The Sailor, Villa Baronesa, Z Carniceria, Hangar 51 e Kingsford.

Quiçá minha caixa de spams sempre trouxesse boas notícias como esta.

Ah, e aguardem. Algumas receitas serão divulgadas aqui no Cão a partir da semana que vem! Fiquem ligados!

3 thoughts on “Especial do Cão – Jameson Bartenders Ball Pub Crawl

  1. Como vai, Maurício?

    Quisera eu (e provavelmente todo o resto da humanidade receber um spam desses haha)…
    Olha, como te disse, meu primeiro Jameson chegou dia 08/04 e me surpreendeu muito.
    Eu já tinha aprovado o produto antes mesmo de prová-lo. A garrafa é linda, cheia de detalhes, dando um ar artesanal ao produto.
    Ao provar, minha impressão só melhorou: é um whisky leve e muito saboroso, o qual não vai faltar mais no meu bar.
    Além dele dar uma boa experiência na comparação com os whiskys de outros países.

    Grande abraço!

  2. Eu sou fã de vocês!!!
    Tenho aprendido mais sobre Whisky a cada matéria.
    Continuem esse trabalhos sensacionais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.