Arquivo para bartenders ball - O Cão Engarrafado

Jameson Bartender’s Ball 2018

Nunca imaginei que ficaria ansioso por uma segunda-feira. Afinal, segundas costumam ser dias meio chatos. Acordar cedo, academia, trabalho, rotina. Mas aconteceu. É que este Cão foi convidado para acompanhar a final brasileira do já conhecido concurso de coquetelaria Jameson Bartender’s Ball, que aconteceu justamente nesta-segunda feira, dia 14, no Z Carniceria em São Paulo. Como você provavelmente sabe, Bartender’s Ball é uma competição internacional de bartenders, em que cada um deve criar um coquetel próprio, utilizando Jameson. De acordo com Flávia Molina, diretora de Marketing da Pernod-Ricard Brasil (proprietários da destilaria Midleton, que produz Jameson) “O Bartender’s Ball vem sendo um sucesso ano após ano, justamente pelo fato de que o whiskey Jameson é reconhecido pelos profissionais por sua suavidade. […]

Sem Medo – Finalistas do Jameson Bartenders Ball

O cinema está cheio de improvisação. Algumas das cenas mais antológicas nasceram de atores, que, numa impressionante demonstração de técnica e audácia, fizeram o improvável. Uma das histórias que mais gosto é a de Laranja Mecânica. A sequência em que Malcolm MacDowell ataca um escritor e sua esposa não estava totalmente planejada. Kubrick teria passado quatro dias filmando e refilmando a mesma cena, mas, como é natural àquele cineasta, ele não estava satisfeito. Exausto e irritado, ele então disse a Malcolm “sinceramente, faça o que você quiser”. E então o ator refez a cena. Uma cena de espancamento. Sem medo, dançando e cantando. Aliás, cantando a única música que conseguia lembrar. A de “dançando na chuva”. E assim, uma das […]

Especial Jameson Bartenders Ball – Liffey – O Cão Engarrafado

Este é o terceiro e último post sobre os coquetéis provados durante o Jameson Bartenders Ball Bar Crawl, que, a convite da Jameson Irish Whiskey, tivemos o prazer de participar. O primeiro foi o Barrel Cocktail, de Vinícius Gomes e o segundo, Irish Pleasure, de Jean Dall Acqua. O drink dessa semana é o Liffey, elaborado pela bartender Barbara Salles, chefe de bar do Alberta#3. O Liffey é um coquetel cítrico e adocicado. Coincidentemente, é um contraponto perfeito com o coquetel de Dall Acqua (cítrico e com especiarias) ou o de Vinicius (seco e levemente amargo). Há um leve sabor de pimenta, mas que está longe de deixar o coquetel realmente picante. O que é bom. Segundo Bárbara, o coquetel foi […]

Especial Jameson Bartenders Ball – Irish Pleasure

Este é o segundo post de uma série de receitas dos coquetéis provados durante o Jameson Bartenders Ball Bar Crawl, que, a convite da Jameson Irish Whiskey, tivemos o prazer de participar. O primeiro foi o Barrel Cocktail, de Vinícius Gomes. O Coquetel desta semana é o Irish Pleasure, criado pelo bartender Jean Dall Acqua, do restaurante Bossa. O Irish pleasure é um coquetel predominantemente cítrico, à moda de um whisky sour, mas com sabores secundários de nozes e especiarias. A ideia de Jean foi criar um drink com cara brasileira, mas que preservasse o toque irlandês do Jameson Irish Whiskey. Segundo Dall Acqua, “Para criar este coquetel fui pego de surpresa, somente dois dias antes de apresentar o drink, […]

Especial Jameson Bartenders Ball – Barrel Cocktail

Este é o primeiro de uma série de três posts, com as receitas dos coquetéis que provamos durante o Jameson Bartenders Ball Pub Crawl. Porque falta de tempo – ou preguiça – não deve ser um empecilho para se beber bem. E experimentar coisas novas, claro. Se você perdeu o post introdutório sobre o Jameson Bartenders Ball, confira aqui. Durante o evento, tivemos a oportunidade de conhecer Vinicius Gomes, chefe de bar do Riviera, e criador do coquetel Barrel Cocktail, que participa da competição organizada pela Jameson. O Barrel Cocktail é um drink predominantemente seco, com amargor e cítrico pronunciado. Há um dulçor que surge somente no final. É um coquetel com complexidade e sabor forte, mas que preserva o […]

Especial do Cão – Jameson Bartenders Ball Pub Crawl

Quando eu era criança, minha mãe me ensinou que eu deveria ignorar ofertas muito tentadoras. Essas que você até desconfia da veracidade, de tão incríveis que parecem. No auge da minha infância, poderia ser alguém oferecendo chocolate. Ou macarrão. Ou qualquer coisa comestível, no meu caso. Afinal, poderia ser uma pessoa tentando levar alguma vantagem. Algum mal intencionado. Ou pior, um sequestrador. Na vida adulta, são aqueles e-mails de spam. Como aquele de uma ucraniana maravilhosa oferecendo amor eterno em troca de exílio em nosso país tropical. Ou aquele bilionário da Costa do Marfim que somente poderia confiar em você para esconder sua fortuna. É como, certa feita, disse um amigo meu – queria viver em um mundo onde todo spam […]