Drops – Puni Alba – Single Malt Italiano

Antes de começar a escrever este texto, resolvi fazer um teste. Perguntei a dez pessoas – dentre elas a Cã, o Pai Cão e certos amigos – qual a primeira coisa que vinha à mente quando falava-se daquele curioso e comunicativo país que é a Itália. E a resposta, para minha total estupefação, foi gondoleiros.

Gondoleiros. Dentre todas as coisas pelas quais a Itália é famosa, gondoleiros foi a resposta de quatro entre dez pessoas a quem fiz a indagação. Os gondoleiros remaram na frente dos automóveis superesportivos. Dos pratos ricos em carboidratos. De Dante, Virgílio, Correggio – com os cumprimentos do Cão Pai – Da Vinci, e da Mona Lisa. Superaram a tarantella. Sobrepujaram Fellini, Spaghetti Western e Bernardo Bertollucci. Era um resultado que eu jamais esperaria.

Eu sabia, por exemplo, que jamais alguém falaria whisky. E esse era justamente o motivo daquele meu experimento. Queria saber quantas coisas poderiam ser evocadas antes de chegar à bebida. Porém, o resultado me demonstrou uma curiosa obsessão de meus conhecidos por estes tão caricatos choferes de canoa.

Acontece que, para mim, os gondoleiros ocupam uma posição bem baixa da lista daquilo que define a essência italiana. Uma posição certamente abaixo de whisky. Ainda mais agora, que a Itália possui a Puni, uma inovadora e destemida destilaria. Fundada em 2010 por Albrecht Ebensperger e sua família, a Puni localiza-se no coração dos alpes italianos, próxima ao vilarejo de Glurns. Em 2012 lançou seus primeiros single malts, dentre eles, o Alba, que ilustra este texto.

Essa é a destilaria. Feia, né?

O Puni Alba é uma criação tão improvável quanto sofisticada. Seu destilado é composto por cevada, centeio e trigo, todos maltados, o que é bastante incomum. E o que, aliás, é uma adaptação italiana do conceito de single malt, que, pelas regras escocesas, deve ser produzido somente com cevada maltada. Bourbons, por exemplo, podem possuir trigo e centeio em sua mashbill, mas estes gãos não são maltados. Sua maturação ocorre por três anos em barricas de vinho Marsala siciliano, para depois ser finalizado em barricas de segundo uso que contiveram whisky defumado da ilha de Islay, na Escócia (estes mauraram single malt escocês por um período entre dez e vinte e cinco anos)

Além do líquido, a ampola merece um parágrafo somente dela. A garrafa foi desenhada pelo designer italiano Chrisian Zanzotti. Seu visual colecionou prêmios como o de melhor design pela World Whiskies Awards e International Wine & Spirits Competition. Claro, um desenho impecável é outra coisa que poderíamos esperar dos italianos. Que, aliás, é outra coisa que vêm na frente dos gondoleiros em minha lista.

O Puni Alba é um whisky leve e equilibrado, com aroma apenas levemente enfumaçado e picante. O uso das barricas de uma forma criativa e cuidadosa disfarçam a pouca idade do single malt, que se passa por um produto ainda jovem, mas bem mais maturado. O final é curto e adocicado. Aliás, este é um dos pontos de destaque do Puni Alba. A prova de que whiskies jovens não são necessariamente  agressivos ou monotemáticos. O bom emprego de técnicas de forma criativa podem produzir resultados excelentes.

Nada de gondoleiros, artistas, massas e cinema. Pensando bem, Puni é a primeira coisa que vêm a minha mente quando sou indagado sobre a Itália.

PUNI ALBA

Tipo – Single Malt

ABV

Destilaria: Puni

País: Itália

Notas de prova

Aroma: frutas secas, pimenta do reino.

Sabor: discretamente enfumaçado no começo, com borracha queimada. Frutas vermelhas, cravo. Final mais adocicado e frutado.

Disponibilidade: Apenas lojas internacionais

3 thoughts on “Drops – Puni Alba – Single Malt Italiano

  1. Muito interessante, mestre!
    Animais exóticos sempre nos trazem novidades. Inclusive, estava lendo sobre o francês Bastille outro dia.
    Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *