Irmão do Meio – Glenlivet 15 anos

Sou filho único. O que, para falar a verdade, não quer dizer muita coisa. Crescer sem irmãos não significa que tenha conseguido tudo que quero. Nem que seja mimado ou estragado, e tampouco egoísta. Quer dizer, exceto com comida. Comida é algo realmente difícil de dividir. Ser filho único, porém, significa que tive que responder mais de um sem fim de vezes a clássica indagação. Se eu não sinto falta de ter irmãos. E minha resposta, desde a mais tenra idade, sempre foi a mesma. É claro que não, afinal, não poderia sentir falta de algo que nunca tive.

Minha mãe, no entanto, possui irmãos. E ela está na pior posição possível. Ela é a irmã do meio. O que, para ela, significava ter as refeições roubadas pelo irmão mais velho enquanto era solenemente ignorada pelos pais, em favor do irmão mais novo. Significava não ter idade para fazer algumas coisas que o primogênito fazia, mas ser velha demais para se envolver com as atividades de criancinha do caçula. Segundo ela, galgar espaço como a irmã do meio não era nada, nada fácil.

Relembrei disso ao experimentar novamente, após bastante tempo, o Glenlivet 15 anos. O Glenlivet 15 é a expressão intermediária do portfólio permanente da destilaria, e está posicionado entre o 12 anos – ou, em alguns mercados, o Founder’s Reserve – e o 18 anos. E como o irmão do meio da família de single malts mais vendida no mundo, o Glenlivet 15 anos realmente não recebe a atenção devida. Um exemplo claro disso é que ele foi o derradeiro a ter uma prova neste blog.

Glenlivet 15 à esquerda.

A maturação do Glenlivet 15 anos é um tanto incomum. Ela ocorre predominantemente em barricas de carvalho americano que antes contiveram bourbon whiskey. Porém, parte do destilado é transferido para barricas de carvalho francês – ou seja, carvalho europeu – da região de Limousin. E isso não teria nada de muito especial, não fosse um pequeno e quase imperceptível detalhe. As barricas de carvalho francês utilizadas pela Glenlivet são virgens. Algo bastante incomum no mundo do scotch whisky, que prefere fazer uso de madeiras que já tenham sido utilizadas para maturar outra bebida.

Este processo, batizado pela destilaria de selective maturation (maturação seletiva, seja lá o que for isso) dá ao Glenlivet 15 anos um sabor bastante picante e frutado, mas ao mesmo tempo adocicado. Algo que, na minha singela e canídea opinião, o coloca em bastante destaque frente às demais expressões do portfólio permanente da Glenlivet, mesmo se comparado àqueles mais maturados, como o Glenlivet 18 e o 21 anos.

Ele é claramente mais complexo e profundo que seus irmãos mais jovens. O real fogo amigo vem do Glenlivet 18, com maturação e perfil de sabor semelhantes. Porém, em comparação com seu irmão maior de idade, o Glenlivet 15 anos é mais pungente, menos seco e mais adocicado. Há mais baunilha – provavelmente resultado do emprego das barricas virgens. Ele é mais adocicado, enquanto o dezoito anos possui mais taninos.

O The Glenlivet é, atualmente, o single malt mais vendido do mundo. Após uma acirrada batalha pela supremacia do mercado, a The Glenlivet superou sua rival Glenfiddich em meados de 2015. Atualmente, a destilaria vende mais de doze milhões de garrafas por ano. Seu whisky mais vendido é o Glenlivet Founder’s Reserve. Parte de sua produção também é utilizada nos blended whiskies pertencentes à Pernod Ricard, sua detentora, como Chivas Regal e Ballantine’s.

Alambiques da Glenlivet. Feio né?

O Glenlivet 15 anos recebeu prêmio de Liquid Gold (Ouro Líquido) pela Jim Murray Whisky Bibile de 2014, e ouro pela International Wine & Spirit Competition em 2017 na categoria de Single Malt de Speyside. Também faturou o ouro pela The Scotch Whisky Masters em 2015 e 2014, na categoria de single malts entre 13 e 19 anos.

Se você já deu seus primeiros passos no mundo dos single malts e agora procura algo com bom “custo-benefício”, ou se – assim como este Cão – você preferiu pular alguns degraus e agora deseja retomá-los, o Glenlivet 15 anos é uma excelente alternativa. Este é um irmão do meio como muitos outros. Basta um pouco de atenção para que mostre seu brilhantismo.

GLENLIVET 15 ANOS

Tipo: Single Malt com idade definida – 15 anos

Destilaria: Glenlivet

Região: Speyside

ABV: 43%

Notas de prova:

Aroma: frutado e adocicado. Baunilha com uma certa pimenta.

Sabor: frutado, com maçã, baunilha e caramelo. O final traz mais baunilha e uma certa canela.

Com água: o sabor fica mais adocicado e menos picante.

Preço: R$ 350,00 (trezentos e cinquenta reais)

 

11 thoughts on “Irmão do Meio – Glenlivet 15 anos

  1. Parabéns mais uma vez pelo texto brilhante. Às vezes penso que Glenlivet e Glenfiddich fazem uma competição a parte. Como venho do mundo do automobilismo por profissão, me lembra as eternas brigas clássicas como Renault x Peugoet, Honda x Toyota, Ford x GM, Scania x Volvo. Pensei nisso ao ler seu texto e pensar no maravilhoso Glenfiddich 15 Solera. Pensando por ambas destilarias fizeram um “tcham” especial bem no irmão do meio de suas linhas? Para terminar a analogia, uma vez falando com o pessoal da Renault, perguntei se eles estavam vendo a movimentação dos concorrentes e ouvi a resposta inusitada: e eu lá quero saber dos concorrentes? Estamos vendo o que a Peugeot está fazendo”. Vai entender… abraços.

  2. Como vai, mestre?
    Também sou filho único, o que realmente não significa que sou mimado e também tive que convencer a população de que não posso sentir falta de algo que nunca tive.
    O Glenlivet 15y chegou bem perto de ser meu primeiro single malt, mas acabei ficando com o fantástico Glenfiddich 15y e no momento estou feliz em Islay hahaha, mas está é uma análise que eu estava aguardando.
    Aliás, vale a pena investir num Founder’s Reserve? Me parece mais viável um bom blended, nesta faixa de preço.
    Grande abraço!

    1. Olha, se o senhor fosse um iniciante no mundo dos maltes, eu diria que sim. Mas como tenho seu Curriculum Alcoolico, vá atrás de um bom blend, ou espere um pouco e pegue um single malt – pode ser um glenlivet mesmo – mais parrudo.

  3. Ainda sou apenas um bebê no mundo do malte, comecei a tomar com gelo somente agora, pois até um ano atrás tomava sempre misturado(estragava Red sempre). Comprei uma garrafa deste The Glenlivet 15y anteontem, mas irei experimentar somente semana que vem.
    Gostei muito do texto, parabéns!
    Estou montando devagar meu bar, mas gosto de whisky suave, tenho um Royal Salute 21 e agora esse Glenlivet15, os outros que comprei mas modestos já foram.
    Teria alguma sugestão de Whisky suave que possa surpreender?
    Obrigado e abraço.

    1. Opa, tudo bem Yukio? É isso aí, vá com calma amadurecendo seu gosto e experimentando coisas novas.

      Se você gosta dos mais delicados, procure o Chivas 18 nos blends. É mainstream, mas é paixão no primeiro gole. No campo dos single malts, veja o Aberfeldy 12 anos, Glenfiddich 15 (não é exatamente delicado, mas tem um certo “sweet tooth” que pode te agradar) e Glenmorangie Nectar D’Or, que tem um gosto que eu poderia definir como chocolate branco!

  4. Excelente tópico, gostaria de saber qual single Malt é mais suave, doce e delicado o GLENLIVET 15 anos ou GLENFIDDICH 15 anos ? Ou sugere outro singela malt ?
    Obrigado e abraço

    1. Ricardo, tudo bem? Ambos são um tanto vínicos, e medianamente oleosos. Me diga um whisky que você conhece que seja suave, doce e delicado, que eu te indico um single malt. É mais fácil eu partir de algum conceito que você já tenha, porque o que é “doce”, “suave” e “delicado” muda de pessoa para pessoa, de acordo com paladar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *