(um pouco mais que um) Drops – Tobermory 15

Uma vez me perguntaram como eu decido o próximo whisky que vou comprar. Fiz uma serena expressão de conteúdo, e respondi com propriedade. Disse que pesquisava extensamente sobre as últimas inovações no mundo do whisky, e procurava aquilo que me tirasse da zona de conforto e que aguçasse minha curiosidade. Porque, afinal, tinha um blog de whisky. E com ele, vinha a responsabilidade de desbravar este etílico mundo da água da vida.

Mas eu menti. Eu menti de uma forma descarada. Porque, pra falar a verdade, minha decisão sobre um whisky passa por dois fatores. O primeiro é eu gostar da destilaria. E o segundo é a garrafa ser bonita. Sério, vocês não tem ideia de quantas vezes relevei um líquido ordinário simplesmente por uma bela ampola.

Acontece, porém, que às vezes com estas regras, eu acerto maravilhosamente. É o caso do Tobermory 15 anos, por exemplo. Uma edição limitada da destilaria homônima, localizada na ilha de Mull, que produz duas linhas diferentes de whisky. A primeira, com o mesmo nome da destilaria, é composta de whiskies pouco turfados, com notas cítricas e de especiarias. A outra, Ledaig, é defumada, com sabor de iodo e fumaça.

A cidade de Tobermory e a destilaria, ao fundo (Fonte: Malt & Oak)

Antes de falar do whisky, neste caso, preciso dedicar um parágrafo ao visual da garrafa e sua embalagem. Feita de vidro assoprado, a garrafa é envolta em uma espécie de papel de presente com a ilustração da baía de Tobermory, feita pela artista escocesa Sonas Maclean. Tudo isso é apresentado em um belíssimo estojo de carvalho recortado, com uma janela no formato da ilha de Mull. Dentro, há também uma caderneta com as notas de prova do whisky e um cartão postal da destilaria. Uma das apresentações mais belas que este Cão já viu – e bem longe da opulência quase kitsh utilizada por algumas (vocês sabem quais!) grandes marcas.

Mas vamos ao líquido. Para seu 15 anos, a Tobermory utiliza um processo por eles batizado de “dual-location-maturation” ou “maturação em dupla localização”. O que é exatamente o que o nome diz. O whisky matura quase toda sua vida na parte continental da Escócia, em barricas de primeiro uso e refill de carvalho americano, utilizadas para maturar bourbon whisky. Ele é então transportado de volta para Mull, onde é transferido para barricas de carvalho europeu de primeiro uso, utilizadas pela Gonzalez-Byass para vinho jerez. É um processo de finalização bem semelhante àquele utilizado por diversas destilarias. Aqui, além do barril, o lugar muda também.

O Tobermory 15 anos é um whisky com oleosidade média, e claramente puxado para o vinho fortificado. Porém, ao contrário de muitos whiskies que passam pelo mesmo processo de maturação, o Tobermory 15 anos ainda conserva uma clara nota de caramelo e baunilha. A influência do jerez está lá para ser notada, mas não é forte o suficiente para esconder as características sensoriais das outras barricas usadas.

Infelizmente, o Tobermory 15 nunca chegou ao Brasil. E já acabou. Mas se encontrar uma garrafa perdida durante alguma expedição internacional, não deixe de experimentar. Não importa muito sua motivação para escolher whiskies. Se você está na vanguarda da ebriedade, ou se simplesmente se sente seduzido pela bela embalagem de um líquido que você já conhece e aprecia. Seja qual for ela, o Tobermory 15 anos será um acerto incrível.

TOBERMORY 15 ANOS

Tipo: Single Malt Whisky com idade definida (15 anos)

Destilaria: Tobermory

Região: Ilhas

ABV: 46,3%

Notas de prova:

Aroma: adocicado, frutado. Um certo aroma de frutas cristalizadas. Panetone e mel.

Sabor: Início adocicado, com um pouco de baunilha e mel, que vai progressivamente se tornando mais licoroso e frutado. Final vínico.

Com água: A água aumenta a impressão adocicada.

Disponibilidade: apenas lojas internacionais.

One thought on “(um pouco mais que um) Drops – Tobermory 15

  1. Eu levo bastante em consideração o contato visual com a bebida, mestre. Confesso que tenho uma certa sensação incômoda quando olho para meu bar e vejo alguns de meus cães bem carregados no corante, por exemplo. E principalmente nos Single Malts, percebo um cuidado maior da destilaria conosco, até mesmo na apresentação e nas informações.
    Bom, no meu caso Tobermory vai esperar um pouco, pois a preferência será o Ledaig haha.

    Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *