Especial de Final de Ano – Whisky e Réveillon

Chivas Extra - Copia

O passado não importa muito. O que importa são seus planos para o futuro. Anime-se com seus planos para o futuro”. Quando ouvi essa frase de um conhecido há uma dezena de réveillons passados, logo me animei. Me animei, porque tudo que havia planejado para meu futuro era terminar aquela taça de prosecco. E, ao termina-la, me encostar novamente no balcão do bar para pedir a próxima. Afinal, é ano novo. Eu posso.

O ano novo é uma festa interessante. Aliás, é minha data comemorativa coletiva preferida. Não é muito difícil, já que eu odeio natal, não suporto a monomania do carnaval e não ligo muito para a páscoa. Mas a verdade é que o réveillon traz um temporário otimismo ingênuo até mesmo para as pessoas mais taciturnas.

Com o tempo, aprendi que não adianta muito fazer planos para o ano vindouro. Nem ouvir conselhos. Porque não importa qual foi sua promessa ou a recomendação. Ano que vêm, você provavelmente estará pesando a mesma coisa que está agora. E continuará trabalhando com o mesmo empenho e visitando a academia com a mesma frequência.

reveillon
Um brinde a isso

Você, inclusive, estará bebendo a mesma quantidade que bebe o ano inteiro. Quer dizer, com exceção da própria festa de réveillon. Porque as festas de réveillon são a única oportunidade no ano inteiro que é permitido beber até atingir a descortesia sem ferir qualquer convenção social. Aproveite.

Na verdade, os melhores planos que se pode fazer antes do ano novo é de como aproveitar a festa de ano novo. E ainda que a expectativa seja sempre melhor do que a realidade, o réveillon traz oportunidades interessantes. Como, por exemplo, a de harmonizar seu whisky preferido com alguma comida elegante. E é aqui que eu quero chegar.

Antes de tudo, vou dar a má notícia. Na verdade, whiskies não funcionam muito bem para serem degustados junto com alimentos. Exceto, talvez, com queijos. Nisso, os whiskies perdem para os vinhos e cervejas. E tudo bem se você quiser tentar experimentá-los juntos, afinal, a comida é sua e o whisky também. Mas meu conselho é que você tome o whisky antes ou depois do prato. Tipo uma entrada. Ou uma sobremesa. Ou uma pré-sobremesa. Ou uma pós-sobremesa. Ou antes e depois de cada prato. É réveillon. Ninguém vai te condenar.

Dito isso, vamos fazer um intensivo de um parágrafo sobre harmonizar alimentos. A harmonização pode ser feita por semelhança ou por contraposição. Na harmonização por semelhança – como você já deve ter deduzido – procuram-se pontos de tangência entre o prato e a bebida. Um prato leve e adocicado, assim, é harmonizado com uma bebida doce e delicada. Já a harmonização por contraponto é o contrário. Busca-se ressaltar as características do prato combinando-o com uma bebida que apresenta as características opostas.

Assim, escolhi quatro pratos – mais ou menos – comuns no réveillon, e apresentarei alguns whiskies que podem combinar, tanto por semelhança quanto por contraposição – com eles.

1) Lombo de porco (com farofa de frutas secas)

Minha mãe sempre dizia que eu devia comer lombo no réveillon para evoluir na vida. Porque o porco fuça para frente, enquanto que o frango cisca para trás. Por isso, eu não podia comer frango no réveillon. Talvez este seja outro motivo que me faz gostar tanto dessa festa. Afinal, abrir mão de um dos alimentos mais detestáveis do mundo por um dos mais geniais nunca foi um grande sacrifício.

Lombo por semelhança – Whiskies adocicados e leves, como Jameson, Glen Grant, Johnnie Walker Gold Label Reserve, Glenmorangie Original ou Nectar D’Or e Chivas Regal 12 anos.

Lombo por contraposição – Whiskies de caráter medicinal e encorpados, como Laphroaig Quarter Cask e Laphroaig 18 anos. Johnnie Walker Double Black pode funcionar.

2) Bacalhau

Olha, eu não sei de onde veio a tradição de se comer bacalhau no réveillon. Eu suspeito que minha família tenha introduzido esse costume para aproveitar o bacalhau que sobrou do natal. Pode parecer oportunismo, mas eu não me importo. Bacalhau é uma delícia. Eu poderia comer bacalhau em todas as datas comemorativas do ano. E nas não comemorativas também.

Bacalhau por semelhança – Essa é fácil. Whiskies salgados, como Old Pulteney, ou defumados e cítricos, como Ardbeg Ten.

Bacalhau por contraposição – Whiskies adocicados e encorpados, com alguma maturação em barricas de carvalho europeu, como Macallan Ruby, Balvenie Doublewood, Chivas Extra.

Nem sempre como bacalhau. Mas quando eu como, é para economizar.
Nem sempre como bacalhau. Mas quando eu como, é para economizar.

3) Salmão Defumado

Tenho duas claras preferências alimentícias. Comidas cruas e comidas defumadas. E o Salmão defumado atende, com louvor, os dois requisitos. Melhor, só se for com uma dose de whisky.

Salmão defumado por semelhança – whiskies defumados e frutados. Johnnie Walker Double Black e Black Grouse ficam ótimos. Um whisky muito forte poderá esconder o sabor do salmão, como, por exemplo, o Laphroaig Quarter Cask.

Salmão defumado por contraposição – whiskies com notas de caramelo e baunilha. Bourbons, como Woodford Reserve e Jack Daniel’s.

4) Arroz com lentilhas (ou só lentilhas)

A tradição de se comer lentilhas no ano novo é bem conhecida. Diz-se que guardar alguns grãos na carteira traz prosperidade e dinheiro para o próximo ano. Dinheiro, só se for aquele que não ficou sujo daquele caldo nojento. Tirando que você teria que lavar a sua carteira. Assim, limite-se a comer as lentilhas.

Lentilhas por semelhança – Whiskies  de corpo médio e neutros. Glenfiddich 12 anos, Glenlivet 12 anos, Johnnie Walker Black Label e Famous Grouse. Há uma infinidade de opções aqui.

Lentilhas por contraposição – Whiskies com predominância de jerez. Macallan Ruby, Dalmore 15 anos, Glenfiddich 15 anos e Chivas Extra. Ainda que eu não entenda bem porque alguém quer sentir melhor o gosto de lentilhas.

Seja qual for sua harmonização, lembre-se que o mais importante é respeitar seu gosto, se divertir, e confraternizar – com moderação – com seus amigos e conhecidos. Faça suas promessas, mas não as leve muito a sério. Aliás, nem leve este texto muito a sério. Teste suas próprias combinações. Aproveite seu ano novo.

Ah, aí vai um conselho que talvez seja bom você seguir. Tente não se afogar pulando as sete ondas.

Nos vemos no ano que vem.

7 thoughts on “Especial de Final de Ano – Whisky e Réveillon

  1. Ou seja, por contraposição ou semelhança serve qualquer whisky, desde que seja um bom whisky. A minha receita é um whisky com gelo antes e um sem gelo depois. Durante, um whisky com água, na proporção ao gosto de cada um. Cheers!
    Um 2016 melhor que 2015 e pior de 2017 !!!

    P.S. E o teu xará Maurício Salvi, que anda meio sumido? Alguma notícia dele? Tá na reabilitação? rsrsrrs

    1. Salvi está por aí, nos grupos, mas por ora não está mais fazendo vídeos. Mas estamos preparando uma surpresa em breve!

  2. Pois é, aquele whiskysito do Salvi poderia ser chamado de “Salvi-se quem puder”. Ai meu deus, não sei porque bebo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *