O Cão Explica – Whisky estraga depois de aberto?

Desde que o homo sapiens sapiens adquiriu consciência de sua consciência, passou a questionar o mundo ao seu redor. Do mais profundo existencialismo até as coisas mais frívolas. Debruçamo-nos em questões tão complexas quanto a formação do universo com a mesma energia que questionamos as mais simples. Não existe resposta estúpida para a verdadeira curiosidade. Afinal, é sempre interessante saber por que a água da privada gira no sentido horário para nós. Ou se o barulho que os dinossauros do Jurassic Park faziam era parecido com o real.

Há, claro, aquela categoria de indagações que, muito provavelmente, jamais serão respondidas. São todas aquelas que dependem, essencialmente, daquilo que escolhemos acreditar. Ainda que mesmo essa afirmação seja bem polêmica. O sentido da vida e a natureza do tempo, por exemplo. E por fim – não menos polêmica ou mais simples de ser respondida – está a questão que todo apreciador de whiskies faz, ao menos uma vez na vida. Será que o whisky estraga depois de aberto?

A resposta mais acurada é sim, é claro. Porém, determinar o prazo para isso acontecer e – mais importante de tudo – para que se torne notável, dependerá de um sem fim de fatores. Dentre eles está a temperatura, o volume de líquido dentro da garrafa, o diâmetro da garrafa (é isso mesmo!) e quanto a garrafa é mexida. Esses elementos influenciam em um fator bem conhecido pelo pessoal dos vinhos, mas pouco explorado por nós, apreciadores de destilados. É a oxidação. Além dele, há também a evaporação, que não pode ser ignorada.

Uma garrafa de 1894, descoberta enterrada sob a Ruthven Road, na Escócia. Será que já oxidou?

Deixe-me ilustrar com um exemplo. Talvez você já tenha deixado, por um terrível e indesculpável equívoco, uma dose sem beber em algum copo, durante uma noite inteira. Porém, ao perceber o erro, e para evitar o desperdício, resolvera que seria uma boa ideia provar daquele líquido. Quase todos nós já fizemos isso. O resultado da experiência dependerá muito da dose, porém, de forma geral, o que você encontrará será um whisky bem mais monotemático e menos picante. As culpadas são justamente a oxidação e a evaporação. Algo semelhante ocorre, em uma velocidade muito menor, dentro de sua garrafa.

Vamos à primeira razão. A oxidação acontece quando a bebida é exposta ao oxigênio. O oxigênio, presente no ar, reage com certos componentes da bebida. São os ésteres e os tióis, que proporcionam alguns daqueles tão agradáveis aromas em sua dose preferida, e que tendem a perder força com a oxidação.  Com os fenóis a história é um pouco ambígua. Enquanto aqueles responsáveis pelo aroma enfumaçado e medicinal diminuem, a vanilina, que traz aquele incrível aroma de baunilha, aumentam.

Para não tornar o papo muito insuportável, vou simplificar. Ao longo dos meses, o líquido daquela sua belíssima garrafa guardada para momentos especiais mudará. Ele se tornará um pouco mais frutado e a baunilha se evidenciará. Porém, os sabores e aromas defumados e medicinais – se algum dia ele já tiver sido defumado e medicinal – assim como as especiarias e o cítrico, se reduzirão. Outros sabores, como o de borracha queimada e aquele inconveniente sabor metálico serão evidenciados.

O whisky, no entanto, possui algumas vantagens sobre a maioria das outras bebidas. Em primeiro lugar, por conta de sua graduação alcoólica elevada – quer dizer, ao menos bem mais elevada que a de um vinho, por exemplo – este fenômeno demora bastante para acontecer. O álcool tende a conservar melhor os elementos que caracterizam os aromas e sabores da bebida. Além disso, muitos creem que a maturação em barricas também auxilia nesta tarefa. Os óleos essenciais da madeira aumentariam a tensão superficial, reduzindo evaporação e, por consequência, a oxidação.

O tempo que levará para que estas alterações ocorram, como disse, dependerá de certos fatores. Porém, de uma forma bem genérica, quanto maior for o contato com o ar, mais rápido elas acontecerão. Assim, uma garrafa com diâmetro maior e que esteja com whisky pela metade – por possuir mais líquido em contato direto com o ar – oxidará mais rápido, mantendo-se as mesmas condições. Da mesma forma, uma ampola que é frequentemente mexida ou agitada tende a ser aerada, fazendo com que o oxigênio reaja mais rapidamente com o whisky.

O volume do whisky dentro da garrafa também é determinante. Não importa se você é um otimista ou pessimista, a garrafa sempre estará cheia. Em parte de whisky, e, a outra parte, de ar. Quanto mais ar houver em relação à bebida, mais rápida será a evaporação e a oxidação. Assim, não adianta ficar lá guardando aquela última dose daquela tão estimada garrafa. Ela oxidará. Eu sei que você já fez isso. Eu fiz. É estúpido.

Não importa se ele está meio cheio ou vazio, contando que tenha whisky!

A temperatura também é um elemento importante. Quanto mais quente for o ambiente, naturalmente, maior será a evaporação. E quanto maior for a evaporação – de uma forma geral – menor será a graduação alcoólica ao longo do tempo. E como o álcool é justamente um dos fatores que previne a oxidação da bebida, quanto menos álcool, mas rápida será a oxidação. É por isso, aliás, que vinhos oxidam mais rapidamente que whiskies.

Talvez, neste ponto do texto, você já esteja enxergando a oxidação como seu maior inimigo. Calma. Como tudo, a oxidação é multifacetada. Um fenômeno tão indesejado nas garrafas é, na verdade, bastante desejado durante o processo de maturação do destilado. Os whiskies, enquanto passam seu amadurecimento nas barricas, entram em constante contato com o ar, por conta de uma folga (um espaço com ar dentro da barrica, que nunca é enchida até transbordar). E esse elemento influencia diretamente no sabor dos whiskies. Isso é interessantíssimo, porque é um elemento que não pode ser alterado, ainda que outros truques para acelerar a maturação sejam empregados – como, por exemplo, o uso de quarter casks.

Porém, a questão essencial ainda não foi respondida. Quanto tempo leva para que o whisky torne-se impossível de ser bebido por conta da oxidação. Bem, esta é uma resposta que depende de um outro elemento, que é completamente subjetivo. O apreciador. O whisky continuará a ser palatável enquanto seu entusiasta o apreciar. Algumas diferenças sutis podem ser sentidas ao longo de alguns – muitos – meses. Já diferenças realmente relevantes, no entanto, levarão bem mais tempo. Ainda que muitos concordem que o tempo varie entre um e três anos, isso dependerá, essencialmente, das condições de armazenagem da bebida, e de quanto whisky ainda há na garrafa.

Assim, meus caros leitores, não se preocupem muito com este assunto. Apenas peguem aquela garrafa com o último fio da preciosa água da vida, desçam em seus copos e apreciem. E nesta contemplação, aproveitem para refletir sobre todas aquelas perguntas que – assim como esta – provavelmente jamais serão respondidas. A natureza do tempo. O sentido da vida. Ou divirtam-se com as frivolidades. Eu ajudo. É mentira que a água gira apenas no sentido horário. E os grunhidos dos dinossauros na discutível obra prima de Steven Spielberg são, na verdade, de animais copulando. Quem poderia imaginar, não é mesmo?

 

61 thoughts on “O Cão Explica – Whisky estraga depois de aberto?

    1. Tenho uma dúvida, se puder compartilhar seu vasto conhecimento ou adivinhação comigo, agradeço.
      Whisky estraga mais rápido no cantil de inox do que na garrafa?

      1. Isa, sim, total estraga. Ele reage com o cantil de inox, que altera as características sensoriais bem drasticamente. Se for usar um cantil de inox, a ideia é que coloque o whisky, leve no evento, beba lá e depois, se sobrar, guarde separado fora do cantil!

  1. Ótima matéria, e parabéns pela forma que ela é escrita, com um pouco de humor fica mais tedioso ler o texto por inteiro. Abração 🙂 (e não vou mais guardar aquela dose final, para um outro momento, hehehe)

    1. Ufa, que bom, por um momento achamos que este era algo como um “Não-elogio”….rs!

      Que bom que está gostando do blog 🙂

    2. Excelente artigo, e parabéns pela página. Muito se aprende por aqui… Mas tenho uma dúvida (cruel, eu avaliaria): uma pessoa sendo detentora de algumas garrafas de whiskeys (meia dúzia, no mínimo), o que seria considerada como a melhor opção: tomar uma a uma de cada vez, ou todas (ou várias delas) ao mesmo tempo? Em sendo a primeira opção, perde-se a oportunidade de comparar os diferentes aromas e sabores, mas em contrapartida, tem-se um período de tempo muito maior para se beber todas. Qual a sua opinião a respeito?

      1. Fala Johnny, tudo bom?

        Olha, minha recomendação seria abrir mais de uma por vez. Aprende-se bem mais por comparação. Agora, o problema, é o consumo. Voce consegue tombar três garrafas em, diremos assim, seis meses? Se sim, abre três por vez e segue o jogo. Aqui, faço isso!

  2. Meu caríssimo Cão, lendo este texto, me lembrei da insustentável leveza do ser, by Milan Kundera.. Abraços canídeos.

  3. Muito interessante, mestre! Já havia notado a alteração do sabor. Muito bom entender melhor tecnicamente a situação.
    Abraço!

    1. Sabe que eu não acreditava muito nisso até ver acontecer com um whisky meu. E tive que prestar atenção! Mandou bem em ter notado!

  4. Prezado,
    Achei muito bons conteúdo sério e forma agradável de se comunicar diretamente com toque de humor. Excelente tema e esclarecedor. Vou matar os restos de garrafa rapidamente. Manda mais .

  5. Cheguei aqui há pouco, nem sei por quais caminhos andei. Gostei muito e já tenho uma pergunta: E o whisky fechado? Tem validade?

    1. Feício, mesma coisa – fechado ele dura bem mais, porque há pouco ar dentro da garrafa. Mas fique de olho na evaporação, e conserve sempre em local fresco e ao abrigo de luz. Ajuda muito a conservá-lo

      1. Tenho três garrafas de Macallan 18yo 1978. Estão lacradas e há 15 anos em pe dentro de suas caixas originais em local fresco e ao abrigo da luz. Agora fui ver e um deles parece exatamente no nível original do líquido. Outro perdeu cerca de 20ml e outro uns 200ml!!!
        Qual seu diagnóstico?

        1. Ricardo, a evaporação atrapalha bastante tanto no sensorial quanto na venda da garrafa. Se tiver evaporado pouco – algo acima do nível do pescoço – tudo bem. Mas se o nivel do liquido estiver abaixo dos ombros da garrafa, a chance do whisky estar oxidado ou seu sensorial estar comprometido é alta.

          Eu faria o seguinte, preenche o formulário da WHisky Exchange (em inglês), e anexa fotos, aqui: https://www.thewhiskyexchange.com/wanted

          Eles irão avaliar pra voce, de acordo com preço de leilão no UK.

  6. Ótimo motivo para justificar a esposa que hoje irei tomar meu 1/4 do Johnnie Walker Red Rye Finish que estava aqui descansando. kkkkk Ah! E ao som de Roberto Carlos. kkkk Abraço amigo. Excelente texto (como sempre).

  7. Bom dia. Minha mãe ganhou uma garrafa de Ballantines quando do eu tinha 3 anos, em 1975, e nunca abriu. Agora, na mudança, encontrei a garrafa. Como posso saber se ainda serve?

    1. Ana, apenas provando. Mas algumas coisas podem ajudar a identificar. Há particulas solidas flutuando dentro da garrafa? Como está o nível do líquido, abaixo ou acima do pescoço?

      Se tiver muito evaporado (nível baixo) ou se tiver algo flutuando lá dentro, há boas chances de estar estragado.

  8. Ainda fiquei sem saber da resposta… achei uma garrafa uísque Johnny Walken Black Label fechada, MAS o
    Líquido está cheio de partículas e turvado… E agora …isso é possível???
    Será que dá pra apreciar esse uísque???

  9. Você pode ser condecorado como o rei prolixo do wisky. Falou, falou e não disse nada. Afinal quantos anos de validade tem o wisky, digamos numa garrafa lacrada? Indeterminado? De 15 até 30? Quantos ?

    1. Bira, talvez, mas vem cá – você não saiu mais sábio depois de ler o texto? Foi lá, procurar uma resposta superficial e aprendeu uma porrada de coisas sobre evaporação e oxidação. Agora já tem umas duas horas de papo com seus amigos na próxima whiskada.

      Mas deixa eu simplificar, por ter lhe proporcionado o inglório trabalho de ler treze parágrafos. Como você pode ter deduzido do texto, garrafa lacrada, indeterminado, desde que mantido em local fresco e ao abrigo de luz e desde que o liquido não tenha sofrido evaporação. Peço perdão por não ter sido óbvio.

      1. E complementando: defina “validade”. É manter as mesmas características sensoriais? Porque mesmo depois de oxidado e evaporado, você pode beber. Não vai te matar nem dar ressaca. Só que a experiência não será boa.

  10. Cara, tenho uma garrafa quase no fim de um whiskey escocês, ela tá aberta desde tempos imemoriais e me aventurei a provar um dia desses: o líquido ainda guarda notas de fumaça que eu, não sendo muito fã de scotch whiskey, achei meio agressivo ao paladar, mas tá lá, pra quem quiser provar.
    Tenho outras 2 garrafas bem antigas de bourbon fechadas. Essas não oxidam?

    1. Blue, oxidam sim. Igual scotch. Toda bebida oxida. Mas depende da evaporação e condições de armazenagem. Estão ok?

    2. Eu acabei de tomar uma dose de um Grants aqui, que deve estar aberto há pelo menos 15 anos… Nenhuma partícula em suspensão, cor maravilhosa e gosto fantástico…

  11. Amigos que apreciam um bom Whisky!!!
    Tenho uma garrafa de Johnnie Walker Black Label. 12 Anos. A 30 anos atrás abri e tômei duas doses. Estou com esta garrafa até hoje. O destilado está um luxo!! Confirmo que o aroma está espetacular. Uma delícia!!
    Fica o convite para quem quiser fazer uma prova!!! Forte abraço.

  12. Excelente texto, pena não ter isso como desculpa para tomar uma garrafa rapidamente kkkk
    Estou prestes a começar a montar o meu barzinho e saber que não devo me preocupar tanto com a “validade” ajuda muito a não ter medo de gastar uma graninha pra montar uma coleção de respeito

    1. Hahaha! André, guardados em local apropriado, pode se dedicar ao colecionismo sem se embriagar. Mas, também, qual a graça? rs

  13. Help!!! Meu avô me deu uma garrafa de Dimple 1970, está lacrada e não houve evaporação. Não tenho ideia de há quanto tempo ele tem isso guardado (certamente ele ganhou de presente e há incontáveis anos). Vi que possui algumas partículas sólidas quando mexi a garrafa. Como posso saber se está estragado e/ou se é original?

    1. Mel, ou é falso, ou rolou uma floculação irreversível. O unico jeito de saber com certeza – sem recorrer a métodos laboratoriais como espectrometria – é abrir e beber. Se você sentir que ele está com um sabor seco, metálico, é porque oxidou. Não vai te fazer mal beber, mas não vai ser gostoso também!

  14. Boa tarde
    Ganhei uma garrafa de Chanceler Golden Label Sword(rótulo espada dourada)
    Nao conheço whisky (nunca bebi)
    Com validade indeterminada,
    Nunca foi aberto, já deve ter que eu sei uns vinte anos.
    Pelo vidro está homogêneo, armazenado em lugar fresco
    PODE SER CONSUMIDO?

    1. Oi Maria! Total pode – se tiver sido armazenado em lugar escuro e fresco, sem muita evaporação (leia-se, nivel do liquido acima do pescoço), e a cor não estiver “esquisita” (leia-se, ainda estiver translúcido e sem floculação), certamente!

    2. Boa noite, comprei uma garrafa de vidro para whisky pode ser colocado? Não perderá o álcool e nem o sabor?

      1. Prezado Wallace, não recomendo trocar o whisky de garrafa, e nem colocar em decanters. Mantenha na garrafa original, com a rolha original. Vai conservar melhor.

  15. Muito agradecido. Guardarei a referência como meu parâmetro doravante. O Vosso Blog conquistou em minhas considerações respeitabilidade.

  16. Pedi ao Google que me dissesse de forma sucinta se o whisky que encontrei na casa dos meus pais durante a quarentena ainda poderia ser consumido e recebi um texto delicioso de ler. Um brinde!

  17. Boa tarde.
    Tenho pesquisado e ainda não consegui chegar a uma conclusão.
    Podemos deixar o whisky fora da caixa, em cima de um móvel, por exemplo?
    Considerando que não pegue sol, porém, está em um ambiente claro.
    Abraços

    1. Edilson, depende do tempo, temperatura e quantidade de luz. Mas, a principio, sim. Vai durar bastante. Só nao vá levar mais de 1 ano para matar a garrafa, ainda mais se estiver com nivel baixo

  18. Caro Cão, é melhor deixar o whisky, depois de aberto, dentro da caixa?

    E parabéns pelos textos… comecei a curtir whisky de verdade agora na Pandemia apenas, e seu blog tem me guiado pelas ávidas compras da madrugada!

  19. Boa noite. Antes de mais nada, parabéns pelo excelente texto.
    Mesmo lendo as perguntas e respostas acima, tenho algumas duvidas. Há quase 30 anos atrás comecei uma pequena coleção de Whisky que nem foi pra frente, mas me sobraram aproximadamente 10 garrafas, todas lacradas, dentro das respectivas caixas e compradas em lojas confiáveis ou mesmo em free shop. Duas delas apresentam poucas partículas flutuando. Ainda posso consumir sem ter problemas, a não ser em relação ao gosto? Outra questão é em relação a um licor de Whisky que tenho (Lochan Ora – Chivas), este apresenta muitas partículas flutuando. A pergunta é a mesma, posso consumi-lo sem problemas?
    Abraços!!

    1. Antonio tudo bem?

      Quanto aos whiskies, pode beber. É floculação irreversível, provavelmente. Ou pedaços da rolha. Só toma cuidado ao abrir, porque as rolhas devem estar ressecadas, se ele estiver floculando.

      Sobre o Lochan Ora, eu não arriscaria. Licores tem uma shelf life menor

  20. Saudações!

    Utilizo uma rolha/válvula com uma bomba para retirar o ar de dentro de garrafas de vinho. Ele consegue preservar bem melhor as características do tinto depois de aberto. Me pergunto se eu não poderia utilizar essa mesma rolha e retirar boa parte do ar do Whisky e obter um resultado parecido.

    Agora, adicionalmente: pelo que entendi, o whisky vai ficar meses sem alteração significante, acho que já atenderia minhas necessidades.

    1. Gustavo, exato, a sua frase final responde a inicial, com uma observação – a rolha de vinho que tira o ar (tipo vacu-vin) funciona bem por um tempo, mas a tendencia é que a pressão vá se igualando. E como o whisky se conserva por mias tempo, não adianta muito o vacuvin.

  21. Ola, Bom dia
    Eu quero deixar uma mini adega para meu filho como presente de 18 anos para ele beber ou vender e usar o dinheiro.
    Minha duvida, Garrafas de Whisky (todos já serão compradas com mais de 12 anos ) para ficarem armazenadas por uns 15 anos podem deixar a bebida ruim ?

    1. Caro Thiago, tudo bem? Elas tendem a oxidar ou evaporar com muito tempo. Mas, mantendo tudo fecvhado, no escuro, em ambiente sem muita variação térmica ou de umidade, demora MUITO.

  22. Boa noite!
    Tenho um Logan 12 anos que está pela metade por um bom tempo (anos). A tampa sempre fechada e ele tem dosador. Verifiquei no teste visual que ele começou a apresentar uma espécie de borra muito sutil no fundo, como se fosse uma névoa de malte. Em todos os demais whiskies que tenho o líquido está límpido e transparente. Mesmo nos mais antigos. Será que ele estragou? É normal isso? Obrigado!

    1. Opa, fala Rodrigo. Meio normal. Com o tempo, e dependendo do armazenamento, a garrafa pode decantar. Que podem ser várias coisas diferentes – de floculação irreversível a pedaços de rolha. O nível da garrafa está bom? Ou evaporou?

      1. Boa tarde!
        O nível dele está um pouco acima da metade. Ficou o tempo todo dentro da caixa. Mas muito tempo… Existe problema em tomá-lo?
        Obrigado pela resposta e parabéns pelo site!

        1. Rodrigo, não seria o ideal. Voce nao vai passar mal, mas, o whisky estará bem aquem, em sabor, do que ele outrora foi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *