Arran Lochranza Reserve – Cliché

Clichê. Um vício de linguagem. Uma expressão que, de tão usada, se esvaziou. Tornou-se comum, corriqueira, banal. Normalmente, fujo dela como o diabo foge da cruz ao escrever as matérias deste blog. Mas, dessa vez, vou deixar a caneta correr solta.

É que Woody Allen disse que, às vezes, a melhor forma de explicar algo é por meio de um cliché. E é justamente isso que farei hoje. Porque tem muita água que passarinho não bebe bem cliché por aí. Esses, ordinários mesmo, com aquele sabor meio genérico. Caramelo, baunilha, malte.

Agora, quase tão difícil quanto desviar do lugar comum, é chutar o balde e abraçá-lo. Mas agarrar com unhas e dentes, matar a cobra e mostrar o pau – claro, o mesmo usado para tirar a vida do proverbial réptil, e não outra coisa que você pode ter pensado. Enfim, fazer nas coxas é fácil. Difícil é fazer bem feito, e de olhos fechados.

E é justamente isso que o Arran Lochranza Reserve, expressão que acaba de desembarcar no Brasil é. Um cliché. Mas um cliché extremamente bem feito. Desses, que dá vontade de entornar o caneco. Seja para beber andando nas nuvens, ou com atenção, é um whisky simples, mas simplesmente excelente.

Seu nome é uma homenagem à vila localizada na ilha de Arran, que possui a impressionante população de, aproximadamente, duzentas pessoas. Como você pode ter previsto, é lá que se localiza a destilaria que produz o single malt tema desta prova. No vilarejo há também um conhecido castelo do século dezesseis – homônimo da vila.

Lochranza Castle (fonte: aboutbritain.com)

O Arran Lochranza Reserve anos é a expressão de entrada da Arran, uma das mais jovens destilarias da Escócia – fundada em 1993 e com produção iniciada em 1995. Apesar da pouca idade, porém, ela descascou o abacaxi, e hoje possui um portfólio bastante extenso de whiskies. Há expressões com perfis de sabor bem diferentes. Do defumado Machrie Moor ao vínico Arran 18, passando pelo insano cask strength The Bothy, a Arran provou que sabe fazer whisky com uma mão nas costas – uma verdadeira destilaria polivalente.

Em relação à maturação, a Arran não comeu cru nem quente. O Arran Lochranza Reserve envelhece predominantemente em barricas de carvalho americano que antes contiveram bourbon whiskey. Depois, é brevemente finalizado em barricas de carvalho europeu de ex-jerez. Isso lhe traz um sabor frutado, com caramelo e baunilha, que combina perfeitamente com o caráter maltado de seu new-make spirit. E apesar da pouca idade, o whisky tem o álcool muito bem resolvido, com a madeira relativamente presente.

Barris na Arran

E se você é daquele tipo de entusiasta, saiba que Arran Lochranza Reserve coloca as cartas na mesa. Não é filtrado a frio – o que evita que certos compostos responsáveis por sabores sejam retirados do whisky – e não há a adição de corante caramelo, para padronização de cor. Realmente, com a Arran, não tem conversa fiada.

No Brasil, uma garrafa do Lochranza Reserve custa algo próximo de R$ 210,00 na Single Malt Brasil, sua importadora oficial. Por este preço, é um negócio da China. Quero dizer, da Escócia. Então, meu caro leitor sem encher mais linguiça, te aconselho a não marcar touca ou dormir no ponto. Corra ou – perdão pelo décimo nono clichê deste texto – você pode ficar a ver navios.

ARRAN LOCHRANZA RESERVE

Tipo: Single Malt sem idade declarada (NAS)

Destilaria: Arran

Região: Higlands (Islands)

ABV: 43%

Notas de prova:

Aroma: frutado, com compota de fruta, limão siciliano.

Sabor: frutado e salgado. Final levemente cítrico, com baunilha e malte.

Com água: a água ressalta as notas frutadas.

Preço: aproximadamente R$ 210 (duzentos e dez reais), à venda na Single Malt Brasil.

4 thoughts on “Arran Lochranza Reserve – Cliché

  1. Como vai, mestre?
    Olha, estou bastante tentado a comprar um Arran. É possível não haver a filtragem gelada em graduações inferiores a 46%?
    Gosto de whiskys com identidade. Características. Nada genérico. Nada praticamente neutro. Me agrada bastante a ideia da destilaria sempre buscar colocar para nós, entusiastas, expressões sem corante e sem filtragem. Ser como deve ser, pelo menos na minha opinião.
    Abraço!

    1. Fala mestre! Sim, sim, total possível. A turbidez só acontece logo depois de voce botar água. Se deixar um tempo, ele volta a ser translúcido!

      Personalidade, aguarde o lançamento do Machrie Moor normal, ou do Arran Port Cask finish!!

    1. João, eu iria no Arran. O Arran é mais maltado, mas parece mais jovem também. É uma questão de gosto, na verdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *