Final Triunfal – Buffalo Trace Stagg Jr.

stagg-jr-2-o-cao-engarrafado-2

Esta semana tivemos a última aula do Curso Avançado de Whisky da Whisky Academy. A aula sobre american whiskey foi ministrada pelo mestre Alexandre Campos, e contou com uma ilustríssima participação. Uma garrafa de Stagg Jr, que pôde ser degustado pelos participantes do curso.

E antes que alguém pergunte ou tenha a ideia de fazer uma piada cretina – não, a garrafa não está fantasiada para o natal. Mesmo porque estes não são os chifres de uma rena. A galhada ilustrada no rótulo é de cervo, e é o símbolo de um dos mais respeitados bourbons dos Estados Unidos – o George T. Stagg. Assim, qualquer semelhança entre esta garrafa e o Rudolph, talvez induzida pela época do ano em que estamos, não passa de uma mera coincidência.

O Stagg Jr. é um bourbon whiskey, produzido em quantidades anuais limitadas pela gigante Buffalo Trace – uma das destilarias mais conhecidas dos Estados Unidos, sobrevivente dos anos de Lei Seca e hoje, produtora de uma enorme gama de whiskeys. O primeiro lote do Stagg Jr. saiu em 2013, e foi quase instantaneamente extinto das lojas.

O sobrenome “Junior” se deve ao seu tempo de maturação. É que existe uma expressão da destilaria chamada George T. Stagg, que passa de 15 a 17 anos em barricas virgens de carvalho americano. É um whiskey raríssimo, caro e muito concorrido. O Stagg Jr., no entanto, matura por 8 a 9 anos, e é um pouco mais acessível – ainda que bem difícil de encontrar.

George T. Stagg
George T. Stagg

Há uma curiosidade interessantíssima sobre o Stagg. Jr., especialmente se você for um whisky geek, como este Cão. É que a graduação alcoólica de entrada nos barris (antes da maturação) é menor do que a graduação de saída. É isto mesmo. O whiskey, durante a quase uma década de barril, ganha graduação alcoólica, passando de 62,5%  para, em média, 66,5%. A graduação de saída, entretanto, varia de lote para lote. O degustado possuía incríveis 67,2%.

Se você está se perguntando como é possível o whisky ganhar álcool, este Cão explica. É que os barris que mais tarde serão transformados em Stagg Jr. ficam nos últimos andares de armazéns muito altos. Lá – no topo – a variação de temperatura é mais alta. Além disso, por estar longe do solo, é mais seco. A temperatura e a baixa umidade são essenciais. Por conta delas,  um curioso processo semelhante a osmose acontece. O barril perde água ao invés de álcool, elevando a graduação alcoólica desta delícia.

O Stagg Jr. não sofre qualquer diluição após sair do barril, e sua cor é absolutamente natural – nenhum corante é utilizado. Como todos os bourbons, o cereal predominante em sua receita – a mashbill – é o milho. No caso do Stagg Jr., há pouquissimo centeio na fórmula.

Como você já deve ter presumido, o Stagg Jr. não está a venda no Brasil. E nem poderia, afinal, sua graduação alcoólica é mais alta do que a máxima permitida por lei em nosso país! Porém, os participantes do Curso Avançado de Whisky tiveram a oportunidade de prová-lo. A derradeira garrafa do curso. Praticamente uma dose de natal. Em uma garrafa convenientemente vestida a caráter.

BUFFALO TRACE STAGG JR.

Tipo – BourbonWhiskey

ABV – 67,2% (variável de lote para lote)

Região: N/A

País: Estados Unidos

Notas de prova

Aroma: adocicado, picante. Açúcar, cravo, caramelo queimado.

Sabor: doce, com açúcar mascavo, caramelo, couro. Muito picante, com o calor do álcool em evidência.

Com água: a água reduz a sensação de queimação pelo alcool, e revela com mais clareza os sabores de açucar mascavo, mel e especiarias.

 

6 thoughts on “Final Triunfal – Buffalo Trace Stagg Jr.

  1. Sempre que leio sobre bourbons, Buffalo Trace é citado.
    Fama realmente impressionante. Uma pena não vir pra cá.
    Agora, uma dúvida: por acaso, vc sentiu falta de uma carga maior de centeio na mashbill?

    Grande abraço e um Feliz Natal!

    1. Fala Felipe! Então, incrivelmente não senti. Ele é tão agressivo no álcool que não dá muito tempo de perceber a composição. Mesmo com água continua sendo um whiskey bem forte, e acho que o centeio o tornaria até mesmo desequilibrado. Mas não saberia dizer sem provar um 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *