O Cão Viajante – Whiskies para comprar no Duty Free

Duty Free - O Cão Engarrafado-1

Sabe, eu adoro viajar. Conhecer lugares novos, cenários e culturas é uma coisa fantástica.  Cada viagem tem seus pontos fortes, seus charmes. Talvez sejam as ruas de uma bela cidade, as ruínas de uma antiga catedral ou mesmo a praia de areia fininha daquela ilha paradisíaca. Ah, e a gastronomia. Para um Cão como eu, que é absolutamente fascinado por tudo que pode ser deglutido, experimentar novos temperos é uma das melhores experiências do mundo. Tudo sobre viajar é ótimo. Exceto, claro, a parte de chegar ao seu destino. Voar é um saco.

Só para esclarecer, não é que eu tenha medo de aviões. Eu não tenho. Não tenho qualquer temor que o avião entre em estol e se arrebente no chão, nem que exploda porque havia alguma rachadura microscópica na fuselagem, muito menos que algum terrorista resolva tomar conta da cabine usando aqueles talheres ridículos de plástico.

O que me incomoda mesmo é o voo. Do ponto A ao ponto B, há horas de desconforto, câimbra e uma intimidade nem sempre desejada com o passageiro do lado. Isso sem falar no ar-condicionado. Todo tipo de moléstia – e odor corporal – transmissível pelo ar circula livremente. E esse mesmo ar que dissemina a doença, seca tudo. Tudo no avião adquire uma certa crocância. Menos a comida, claro, que é molenga e sem sal.

Delícia!
Delícia!

Soma-se a tudo isso o fato de que sou relativamente impaciente e um pouco hiperativo. Assim, a ideia de ser obrigado a passar horas sentado no mesmo lugar (sendo contaminado) para mim, soa como uma sentença de prisão perpétua.

Minha sorte é que, ao final daquele marasmo interminável, há uma recompensa. Uma recompensa que está lá mesmo quando volto de viagem. A loja do Duty Free. Minhas viagens sempre começam e terminam no Freeshop. Sou completamente incapaz de viajar sem visita-las, e ainda mais incapaz de sair sem ao menos uma garrafa na mão. Mesmo antes da aeronave pousar, já começo a ficar angustiado sobre o que irei comprar naquela oportunista loja.

Se você, assim como eu, não consegue conceber a ideia de entrar ou sair de uma aeronave comercial sem comprar uma garrafa de alguma bebida alcoolica, este post é para você. Aí vai uma lista de seis whiskies que podem ser facilmente encontrados nos Duty Frees de aeroportos brasileiros, no embarque ou desembarque de voos internacionais. Organizados por preço, do maior para o menor. Faça como este Cão. Aproveite as férias de julho para beber melhor.

THE MACALLAN ESTATE RESERVE

Macallan Estate Reserve - O Cão Engarrafado-1

Vamos começar essa lista de forma triunfal. O The Macallan Estate Reserve é a expressão mais cara da destilaria à venda em nossos aeroportos. E (tenha isso em mente) somente em aeroportos. É que a 1824 Collection – diferentemente da 1824 Series – da qual fazem parte também Select Oak, Whisky Maker’s Edition, Oscuro e MMXII, é exclusivamente comercializada nos freeshops de aeroportos internacionais.

O Estate Reserve é engarrafado a 45,7% de graduação alcoólica, e possui um sabor profundamente frutado, cítrico e de especiarias. Toda essa maravilha, entretanto, não é nada barata. Uma garrafa deste single malt custa US$ 273,00 (duzentos e setenta e três dólares) no Freeshop. Para saber mais sobre ele, clique aqui.

GLENFIDDICH 125 EDIÇÃO LIMITADA

Glenfiddich 125

Sério, é um Glenfiddich defumado. Se isso não for razão suficiente para você, saiba que ele é também uma edição limitada, comemorativa dos 125 anos de fundação da destilaria. Cada garrafa vem com um certificado, um extravagante estojo de metal e uma rolha especial, para substituir a que veio com o lacre.

Seu preço, entretanto, não é muito palatável. US$ 150,00 (cento e cinquenta dólares) no Duty Free. Mas veja pelo lado bom, comprando um destes e o Macallan Estate Reserve, sua quota, angústia e solvência financeira estarão todas praticamente zeradas.

Se quiser saber mais detalhes sobre essa maravilha líquida, leia aqui.

BRUICHLADDICH ORGANIC BARLEY

Bruichladdich Organic

Como o nome já diz, o Bruichladdich Organic Barley é um whisky orgânico. Mas não orgânico no sentido semente de linhaça com inhame. Sua cevada, que lhe serve de matéria prima, é produzida por fazendas certificadas. A Bruichladdich inclusive as identifica em seu rótulo: Mains of Tullibardine, Mid Coull e Coulmore.

Produzido em Islay, famosa por seus whiskies com sabor esfumaçado, o Organic Barley é uma preciosidade. Ele não possui qualquer sinal de defumação. Sua graduação alcoolica também é bastante incomum. Cinquenta por cento. Em um mundo de padronizações, o Bruichalddich Organic Barley é um animal raro. Seu preço no Duty Free é de US$ 88,00 (oitenta e oito dolares)

GLENLIVET NADURRA OLOROSO

Nadurra Oloroso
Foto do colega Maurício Salvi para O Cão Engarrafado

O Nadurra Oloroso praticamente gabarita a prova do que seria um whisky delicioso. Um dos mais respeitados single malts de Speyside, maturado em barricas de carvalho europeu que antes continham vinho jerez Oloroso e alta octanagem. Sinceramente, não dá para ficar muito melhor do que isso.

O Glenlivet Nadurra Oloroso custa US$ 80,00 (oitenta dólares) no Duty Free. É um preço bem convidativo para uma edição especial encontrada apenas em freeshops. Além, claro, de ser excelente.

JACK DANIEL’S SILVER SELECT

SIlver Select

Nada é tão bom que não possa ser melhorado. Exceto, talvez, o Porsche 911 e a aparência da Amber Heard. O Jack Daniel’s Silver Select é a prova disso. Ele é uma versão turbinada do Jack Daniel’s Single Barrel (na singela opinião deste canídeo, melhor dos Jack Daniel’s à venda em nosso país), engarrafado com menos diluição, resultando em uma graduação alcoólica maior, de 50%. O preço desta preciosidade prateada no Duty Free é de US$ 63,00 (sessenta e três dólares).

Se quiser saber mais sobre ele, leia aqui.

JOHNNIE WALKER THE SPICE ROAD

Foto feita para o Cão Engarrafado pelos amigos da Whisky Capital
Foto feita para o Cão Engarrafado pelos amigos da Whisky Capital

O Spice Road é o segundo de uma série de quatro whiskies da Johnnie Walker exclusivos para freeshop. É a – sugestivamente denominada – Explorer’s Club Collection, que presta homenagem a antigos exploradores e às históricas rotas comerciais, como a rota da seda e do ouro.

O Johnnie Walker Spice Road é um whisky leve e relativamente seco. Há um sabor que remonta o de frutas cristalizadas e caramelo. O final é progressivamente seco e defumado. Pense nele como uma espécie de Johnnie Walker Black Label sofisticado. Seu preço no Duty Free é de US$ 43,00 (quarenta e três dólares).

 

20 thoughts on “O Cão Viajante – Whiskies para comprar no Duty Free

  1. Texto muito proveitoso, Maurício!
    Já olhei diversas vezes o site do Duty Free e existem dezenas de expressões a venda, que não temos por aqui e fica difícil fazer uma seleção do que vale a pena (provavelmente, praticamente tudo haha).
    Muito bom ter algumas sugestões do que adquirir, quando surgir a oportunidade.

    Grande abraço!

  2. Muito legal! Parabéns pelo post!
    Já salvei alguns na minha lista para a próxima viagem.

    Tenho uma outra pergunta que pode ser uma sugestão de post:
    Vou para os EUA no fim do ano. Quais whiskies você recomendaria eu comprar?
    (seria parecido com essa lista, mas o universo é bem maior).

    Por exemplo, poderia sugerir whiskies realmente bons que não são encontrados aqui, ou que o preço aqui torna proibitivo.
    Ou então alternativas para os whiskies que já conhecemos, com a vantagem de levar algo mais diferente sem muita diferença de preços/estilos (ex: em vez de comprar o Ardbeg Ten, comprar o Ardbeg XXXXX ou o YYYYYYY que são muito bons e é uma alternativa ao nosso conhecido).

    Abraços

    1. Vish João, é complicado, porque o mercado americano é gigantesco em relação a single malts. Veja que o post aqui só relacionou os whiskies de freeshop brasileiros, não internacionais. Se você passar em um Duty Free de Miami, por exemplo, a seleção será diferente.

      Mas já que você falou de Ardbeg e está indo viajar… aí vai a dica. Ardbeg Corryvreckan. Insanamente defumado e graduação alcoolica de quase 58%. Um dos preferidos da querida Cã Engarrafada (que orgulho!)

      1. Valeu pela dica! Anotado!
        Provei poucos single malts até hoje (Glenlivet 12, 18, e Founder’s Reserve), Glenfiddich 12, Glenmorangie Original e Nectar D’or, The Hakushu.

        Na minha lista (bem básica, e econômica, eu sei), eu tenho por enquanto:
        Dois defumados (Laphroaig e sua sugestão de Ardbeg Corryvreckan)
        Um ostentação (Glenmorangie Signet ou Balvenie Portwood 21)
        Algum Macallan (12 anos provavelmente)
        Balvenie Caribbean Rum Cask

        O que acha?
        Muito ruim? Alguma sugestão?

          1. João, verdade. Mas veja que essa lista tem base o Duty Free de terminais internacionais de aeroportos brasileiros. Então, o único bourbon de marca diferente daquelas encontradas por aqui é o Bulleit. E Rye, pior ainda. Atualmente, nenhum rye está à venda nos aeroportos brasileiros. Por outro lado, nos freeshops de outros países, há uma maior variedade, claro! 🙂

        1. Acho que é uma belíssima lista. Macallan 12 anos anda um pouco complicado. Talvez substitui-lo por um Ruby ou mesmo Sienna seja algo mais… concretizável…rs. Mas acho que se for para viajar, procure marcas que não se encontra por aqui, como Lagavulin (defumado), Aberlour (sherry), Springbank (que possui uma linha levemente defumada e outra intensamente defumada, chamada Longrow), etc. Assim você tem a chance de experimentar algo que não teria em outra situação por aqui!

          1. Valeo mesmo pelas dicas, já estou refazendo minha lista aqui.
            Sobre meu comentário de bourbons e rye whiskeys, me desculpe, eu me expressei mal.
            Eu não quis dizer que faltou mencioná-los no seu post, e sim na minha lista de compras 🙂
            Além dos 5 single malts que estou planejando, vou incluir também um bourbon e um rye.

            Abraços

          2. Ah, entendi. Uma lista de compras completa 🙂

            Fique de olho que em breve haverá novidades neste “assunto”. O post do Cão do próximo sábado revelará a novidade!

            Abs

  3. Prezado cão, qual a diferença e qual a melhor escolha entre o Glenlivet Nadurra Oloroso e o Nadurra Oloroso First Fill? Abraço

    1. Fala Rafael! Desculpa a demora pra responder, eu não tinha visto o comentário! Em tese “first fill” significa que é o primeiro uso do barril para whisky escocês. Agora, se não me engano, o Nadurra “First Fill” tem predominancia de barricas de bourbon, enquanto o Oloroso é finalizado em barricas de ex jerez oloroso.

  4. O macallan estate reserve e o glenfidch edicao especial sao maravilhosos (os meus terminaram)!!! Preciso conhecer os outros!! Boas dicas!!

  5. Prezado Cão, adquiri recentemente o Glenlivet Nàdurra Oloroso Cask Strength 60.3%.Além da graduação alcoólica, gostaria de saber mais diferenças entre este whisky e a versão vendida no free shop. Grande abraço e parabéns pelos textos!!!

    1. Opa, fala Daniel! Ate onde sei, a unica diferença é a diluição. O Nadurra (verdadeiramente) cask strength não é diluído. Mas continua sendo uma mistura de diversas barricas, algumas mais jovens, outras mais maturadas. A escolha entre vender uma ou outra passa um pouco pela legislação – onde se exige por alguma razão que o ABV seja sempre o mesmo (sem variações de lote pra lote, p.e.), vende-se o diluído.

      De resto, whiskies identicos. Mas nunca vi idênticos tão diferentes!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *