Drops – Woodford Reserve Double Oaked

Se você gosta de corridas de cavalos, ou se é fã de Hunter S. Thompson – o jornalista bêbado – há grandes chances de já ter ouvido falar do Kentucky Derby. De toda forma, deixe-me aqui defini-lo com uma auto-paráfrase: O Kentucky Derby é conhecido como a mais famosa corrida de cavalos do mundo. O tempo rendeu-lhe o título de  “os dois minutos mais emocionantes do esporte”. É a primeira das três disputas que compõe a Tríplice Coroa, juntamente com o Preakness Stakes e Belmont Stakes. Realizada em Louisville, Kentucky, o Derby é um festival de roupas extravagantes e indivíduos excêntricos. Chapéus vitorianos dividem espaço com fraques, monóculos e cartolas.

O Kentucky Derby é, na verdade, uma espécie de festa a fantasia universitária, onde todo mundo bebe loucamente e faz de tudo um pouco. Só que no Kentucky Derby também há cavalos. Muitos justificam que os belos equinos são, na verdade, os protagonistas do espetáculo. Eu, no entanto, tenho minhas dúvidas. Afinal, o evento possui um coquetel oficial – o Mint Julep. O que sugere que os animais de grande porte estão lá apenas para justificar uma coisa ou outra.

Essa impressão fica mais forte ao saber que a corrida possui também um bourbon whiskey oficial, usado como matéria prima do drink. O Woodford Reserve. Se você acha isso besteira, deixe-me apresentar aqui alguns números. Em 2015, foram usados 5.040 litros de Woodford Reserve para produzir 127.341 mint juleps durante as festividades equídeas. É whiskey demais para uma simples corrida de cavalos.

Ah, aquilo lá longe é um cavalo?

A escolha do Woodford Reserve como bourbon whiskey oficial do Kentucky Derby não é por acaso. A destilaria – chamada Labrot & Graham – pertence à Brown-Forman, o mesmo grupo por trás da Jack Daniel’s. Porém, os Woodford possuem um perfil mais refinado e são conhecidos por trazer belas inovações ao mercado. Como, por exemplo, seu Woodford Reserve Double Oaked, lançado em 2012.

O Woodford Reserve Double Oaked começa sua vida como um Distiller’s Select. Porém, após sua primeira maturação, é transferido para barricas altamente torradas e levemente tostadas para ser finalizado por um período de, aproximadamente, nove meses. Esta pequena gestação traz ao whiskey um sabor enfumaçado, mas não à moda dos whiskies turfados. É algo como um caramelo queimado, algo adocicado e ao mesmo tempo picante.

O processo de finalização no mundo dos bourbon whiskeys não é algo exclusivo da Woodford Reserve. Basta pensar no Angel’s Envy, finalizado em barricas de vinho do porto. Porém, a inovação do Woodford Reserve Double Oaked é a utilização de barricas de carvalho americano virgens. Não há a influência de qualquer outra bebida que teria ficado naqueles recipientes antes. A diferença está, simplesmente, no processo de torra e tosta do barril. Aliás, as barricas virgens de carvalho que maturam o Woodford são produzidas na Brown Forman Cooperage, que também é responsável por fabricar aquelas usadas pela Jack Daniel’s. Isso permite que a destilaria escolha a dedo apenas as melhores barricas para maturar seu bourbon.

Torra dos barris

A Labrot & Graham possui também a curiosa tradição de fermentar seu mosto por um período maior do que o costumeiro. A maioria das destilarias de bourbon whiskey realizam o processo em 3 dias, produzindo um distiller’s beer com graduação alcoólica em torno de 9%. A Labrot, no entanto, fermenta seu mosto por 6 dias, elevando a graduação para aproximadamente 11%. Este fermentado é então destilado três vezes em alambiques de cobre. O produto resultante é então reunido com outro destilado, produzido em destiladores contínuos da Brown Forman Distillery, no Kentucky.

Apesar do Woodford Reserve Double Oaked não estar disponível em lojas brasileiras, ele pode ser facilmente encontrado nos freeshops de nossos aeroportos internacionais. Seu preço é de US$ 50,00 (cinquenta dólares). E não, não é necessário usar chapéus extravagantes e nem admirar equinos para comprá-lo.

 WOODFORD RESERVE DOUBLE OAKED

Tipo: Bourbon

Marca: Woodford Reserve

Região: N/A

ABV: 43,2%

Notas de prova:

Aroma: Caramelo. Açúcar mascavo e baunilha.

Sabor: Calda de caramelo queimada. Pudim. Final longo, com caramelo e açúcar mascavo.

Disponibilidade: Duty Frees de aeroportos brasileiros / lojas internacionais

 

6 thoughts on “Drops – Woodford Reserve Double Oaked

  1. Como vai, mestre?
    Ainda não cheguei no Woodford, mas ele sempre me chamou muito a atenção. Especialmente esta expressão.
    Aproveitando a passagem por aqui, vc pode me dar um pequeno auxílio, por favor?
    Estou pensando em seguir o seguinte rumo nos Single Malts de Islay:
    Laphroaig Quarter Cask;
    Port Charlotte;
    Jura Prophecy;
    Ardbeg (de novo e de novo haha).

    Um bom plano? Alguma correção/ sugestão?
    Abraço e obrigado!

    1. Mestre, tudo bem? Lineup perfeito. Mas não sei se eu não inverteria o Prophecy com o Port Charlotte. O Prophecy é mais delicado, e fará um contraponto interessante com seu Quarter Cask (que estará acabando, imagino). O problema é depois. O Port Charlotte lembra um pouco o Ardbeg. Refresque minha memória. Talisker 10 já foi? Se não, faça algo como:

      Laphroaig Quarter Cask;
      Jura Prophecy;
      Port Charlotte;
      Talisker 10
      Ardbeg (de novo e de novo haha).

      Quando voce chegar no ponto do Talisker, terá a capacidade de pegar com muito mais facilidade as notas de fumaça, iodo e medicinais. A experiência fica bem mais bacana 🙂

  2. Olá Mauricio.
    Parece ser bem interessante esse Bourbon. Como já mencionei em outros comentários, não sou muito fã dos whiskies muito enfumaçados, mas fiquei animado em conhecer o resultado de todo esse processo de torta e tosta das barricas dessa expressão. Vou procurar em minha próxima visita ao Freeshop. Depois eu conto o que achei. Abraço.

  3. Grande Maurício,

    Comprei esse whisky em questão e achei muito bom, superando minhas expectativas. Consegui notar uma boa diferença tomando-o com gelo e sem gelo (melhor).
    Mas uma coisa me incomodou, sabe me dizer porque a garrafa não tem um dosador ? O bocal é muito largo ficando difícil controlar as doses dessa preciosidade.

    Abraços

    1. Fala meu caro, tudo bem?

      Pois é. Na verdade o dosador é mais empregado aqui no Brasil, como uma forma de tornar a falsificação da bebida por transplante um pouco mais difícil. E o Woodford pelo jeito não foi considerado objeto de falsificação tão grande assim para receber o dosador. Outra coisa é que a identidade visual dele passa pela rolha de cortiça, então acho que a escolha foi não interferir muito nisso.

      Existe uma espécie de bocal que conta as doses, você já viu? Se quiser, posto o link para voce.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *