Quatro presentes de whisky para o seu pai

Ser pai é uma experiência de surpresa e autoconhecimento. De surpresa porque de todos os infinitos cenários que imaginei para mim aos trinta e tantos, nenhum deles contemplava estar acordado às seis e meia da manhã assistindo Bita e os Animais enquanto uma criança lambe a metade gostosa de uma bolacha recheada.

E de autoconhecimento porque a criança reminisce bastante a mim. Nem tanto fisicamente – neste ponto, por sorte, os genes de minha esposa foram absolutamente impiedosos. Mas quanto à personalidade mesmo. Tenho dois filhos, e me vejo neles o tempo todo. Aliás, eu nunca havia me dado conta de quão irritante e obstinado eu era, até gerar uma mini-versão feminina de mim, e discutir com ela todos os dias.

A paternidade é uma espécie de trabalho sem jornada máxima e cuja remuneração é a realização de seu chefe. O que parece ser injusto, mas é estranhamente recompensador. Ser pai é essencialmente abnegação, mas é delicioso. Ah, e tem o dia dos pais.

Não importa se você acha que o dia dos pais é uma construção social, do capitalismo, para incentivar o consumismo desnecessário. Nós, pais, merecemos. E se você concorda comigo, mas não consegue decidir o que dar para seu progenitor neste dia tão especial, aí vão quatro sugestões para todos os bolsos. Vamos a elas.

WHITE HORSE

White Horse

Calma, eu explico. Desde que abrimos um bar e loja em São Paulo, toda semana alguém aponta para o clássico White Horse na prateleira e fala algo nas linhas de “olha só, meu pai bebia aquele dali”.

A gente não sabe bem porque (na verdade, a gente sabe…) mas o White Horse se entrelaça com o conceito de paternidade de uma forma fascinante. Parece que em certa época, quando alguém virava pai, deixava de beber o que bebia antes para tomar White Horse. Ele faz parte do pacote da paternidade.

E como todo pai é um pouco nostálgico, o conhecido cavalinho branco trará de volta todas aquelas lindas memórias do passado. O White Horse não é um whisky. É uma cápsula do tempo.

CHIVAS REGAL BLENDING KIT

Se seu pai é um whisky-geek e sonha em ser um master blender para alguma marca, isto é mais do que um presente. É a realização de um sonho. A Pernod-Ricard, proprietaria da Chivas Regal, trouxe para o Brasil um kit para que você crie seu próprio blend.

O Blender Kit bem com quatro single malts de perfis sensoriais distintos, um grain whisky, conta-gotas e um becker. Há um site que indica como os elementos devem ser misturados de acordo com um teste de múltipla escolha. O candidato a blender deve responder como gosta de seu whisky, e o site sugere as proporções. À venda na loja oficial da Pernod, a Drinks&Clubs

SUNTORY THE CHITA

Há muito não víamos whiskies japoneses no Brasil. Porém, no começo deste ano, desembarcou por aqui o Suntory The Chita. Ele é um single grain – o único do tipo no Brasil. Seu cereal base é o milho. A destilação acontece em destiladores contínuos, que podem ser combinados de diferentes formas para atingir oleosidades diferentes de seu new-make. Para aumentar a complexidade, uma combinação de barricas – dentre elas, jerez, vinho tinto e bourbon – é empregada.

O The Chita é um whisky leve, delicado, com notas de coco, baunilha, caramelo e mel. Perfeito para se tomar despreocupadamente na companhia de seu pai num dia especial. E caso papai seja mais hipster, a Suntory traz também um gin. o Roku Gin. À venda em varejistas selecionados.

MACALLAN REFLEXION

Se você é um multimilionário, esta é a sugestão definitiva. Por uma fração do preço de um relógio Patek-Phillipe ou um milésimo do que custaria uma McLaren (Ferraris são óbvias, né?) você pode deixar seu velho inebriadamente (de forma literal) feliz. O Macallan Reflexion, a mais exclusiva expressão da luxuosa destilaria a desembarcar oficialmente em nosso país. Custa em torno de R$ 15.000 (quinze mil)

E nem venha me falar que é um exagero. Porque se você hoje tem no banco o correspondente ao PIB de uma pequena nação européia, é por conta dele. Não fosse pelo esforço ativo de seu pai (e a participação da sua mãe, tudo bem) você não estaria aqui para acumular seu dinheiro. Ele merece.

O Reflexion está à venda em garrafa em revendedores selecionados, e em dose em nosso espaço em São Paulo, o Caledonia Whisky & Co.

6 thoughts on “Quatro presentes de whisky para o seu pai

  1. O White Horse é como a comoda da mãe, assim como o Gordona na familia dos gins. Foram as primeiras bebidas de “qualidade” que aportaram por estas terras tupiniquins, pelo menos no interior. Na decada de 60, meu tio, fazendeiro, tomava esse whisky e era o que se presenteavam os gerentes de bancos nos fins de ano. Na decada de 80 é que comecaram a aparecer os outros blends, até que o supra sumo do final da década foi o Royal Salute. A história restante todos conhecem.

    1. Ismael, é isso aí. Cara, o legal de ter um blog é sempre ver comentários como este, que agregam ao texto e trazem um pouquinho de cultura para os leitores :). Obrigado!

    1. Fala Leo! Recomendo ir atrás de sua curiosidade ! 🙂

      Qual whisky voce tem mais vontade de provar? Vá trilhando o caminho daquilo que te chama atenção. Assim, você desenvolverá seu próprio gosto. Agora, da lista daí, Chita!

  2. Bom dia!
    Meu nome é Ângela, não sou conhecedora de bebidas, estou aqui pra ajudar uma pessoa. Ele tem duas garrafas de whisky antigas.
    Está querendo vender, creio que se interessaria seria um colecionador. Alguém poderia me ajudar, falando sobre as bebidas ou um local de vendas pra colecionadores.
    1- White Horse- tem um número de série n.1065773
    2-VAT 69 sem numeração(eu não identifiquei nada)
    Desde já agradecida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *