O Cão Econômico 3/3 – Famous Grouse Finest

Famous Grouse novo2

Este é o último post de uma série de três provas sobre whiskies abaixo de R$ 100,00(*). Os outros foram Glen Grant e Teacher’s Highland Cream. Além dele, o Cão já visitou outros três whiskies nessa faixa de preço. Foram White Horse, Johnnie Walker Red Label e Suntory Kakubin.

A criatividade do homem é infinita. Ela se manifesta em tudo produzido por nossa mente, seja tangível ou intangível. Das pinturas rupestres a Duchamp, das primeiras tendas aos arranha-céus de Dubai, estamos imersos em um oceano de criatividade. E isso não é novidade para ninguém.

Mas há um ramo da inventividade humana que sempre me surpreende. Um ramo em que o homem realmente emprega todo seu potencial. O de nomear produtos. Dê uma olhada nas gôndolas de supermercados. Há uma miríade deles. Cachaças João Andante, torradas Peter Pão, croissants Croasonho, carnes Boi Vivant, tapete higiênico para cachorros Super SeCão. E meu preferido, talvez pelo mau gosto aliado à sutileza de uma britadeira: papeis higiênicos Pacu.

Além do nome, há a embalagem. A embalagem é quase um convite para adquirir aquilo que ela carrega. Na época daquela promoção da Coca-Cola, sempre procurava meu nome nas latas. Se encontrasse, não titubearia em levar para casa. Mas infelizmente, por algum motivo, nunca encontrava uma estampada com Cão.

No entanto, infelizmente o sol da criatividade não brilha para todos. E muitas vezes produtos muito bons recebem nomes e embalagens péssimas. Ou simplesmente medianas, que não condizem, nem um pouco, com a qualidade daquilo acondicionado em seu interior. É o caso, por exemplo, da marca Famous Grouse.

 

As vezes, as embalagens passam uma ideia errada.
As vezes, as embalagens passam uma ideia errada.

Whiskies normalmente possuem nomes que transmitem tradição, força ou status. Pense em Chivas Regal e Royal Salute. Mas o Famous Grouse é uma exceção. Seu título infeliz significa, em uma tradução tosca, “o galináceo famoso”. E ainda que isso possa vir como uma surpresa para você, aquilo não é um peru. O nome é, na verdade, uma homenagem à tetraz, uma ave galiforme, muito comum na Escócia. E ainda que o rótulo tenha passado por uma recente revisão, ainda há a imagem do pássaro. Veja bem, a garrafa não é exatamente feia – e melhorou bastante com o recente facelift – mas também não é nenhuma obra da Pininfarina.

Mas a injustiça por trás disso é que mesmo o Famous Grouse Finest, sua versão mais simples, é excepcional para sua faixa de preço. Ele é um blended whisky saboroso e consistente, por menos de cem reais(*).  Aliás, muito provavelmente se ele custasse o dobro, ninguém acharia estranho. Não é para menos. Fazem parte de sua composição alguns dos melhores single malts da Escócia.

A história da marca começa em 1842, no condado de Perth, com um homem chamado Matthew Gloag. Gloag, um mercador de alimentos e vinho, comprava whiskies das diversas destilarias ao redor da Escócia, para revenda. Na época, a empresa chamava-se Matthew Gloag & Son. Em 1860, com sua morte, seu filho, William, assumiu a empresa, e passou a produzir blended whiskies com o estoque comprado pelo pai.

Até aí, tudo ia bem. Mas em 1896 o sobrinho de William, também chamado Matthew, assumiu a empresa e teve a brilhantíssima ideia de rebatiza-la. Após semanas de brainstorming, Matthew resolveu que homenagearia um galináceo – The Grouse. Mais tarde, adicionou o “Famous”. E assim, a Famous Grouse recebeu o nome que tem hoje.

Mas Matthew não estava satisfeito com sua obra. Então pediu para sua filha, Phillippa, para desenhar o logotipo da rebatizada companhia. E Phillippa, que provavelmente não era muito mais velha do que minha filha de um ano e meio, superou seu pai na sua grandiosidade criativa. De suas mãos hábeis, nasceu o rótulo do tetraz. Praticamente o frango engarrafado.

Versão premium
Versão premium

Atualmente, a Famous Grouse é controlada pelo Edrinton Group, uma empresa escocesa especializada na produção de bebida alcoólica. Seu portfólio conta com algumas das destilarias mais respeitadas da Escócia, como Highland Park, Macallan e Glenturret. Isso garante à Famous Grouse abastecimento de excelentes maltes para sua produção, que  conta com linhas de blended whiskies, blended grain e também de blended malts, algo bastante incomum nos dias de hoje.

Inclusive, há uma curiosidade interessante sobre o uso de Macallan em sua mistura. A destilaria utiliza somente os 25% centrais de seu processo de destilação para a fabricação de whisky. Neste percentual, os 17% centrais vão para os single malts. O restante (4,5% de cada ponta) é empregado na produção dos whiskies da linha Famous Grouse. Todo o resto – 75% – é descartado.

O Famous Grouse Finest é um blended whisky sem idade definida, sendo que seus single malts maturaram tanto em barricas de carvalho europeu de ex-jerez quanto carvalho americano, de ex-bourbon. Essa maturação, aliada aos whiskies que o compõe, dá ao Famous Grouse um sabor levemente turfado e picante, incomum para blends mais em conta.

Em nossas terras, uma garrafa do Famous Grouse Finest custa, em média, R$ 80,00. Por este preço, dificilmente se encontrará um whisky tão encorpado e equilibrado quanto este. Tudo nele é irrepreensível. Menos a garrafa. E o rótulo. O rótulo da galinha. Mas ainda que galináceos não sejam a preferência deste Cão, abrirei uma exceção para este aqui. É um frango engarrafado que vale a pena.

FAMOUS GROUSE FINEST

Tipo: Blended Whisky sem idade definida (NAS)

Marca: Famous Grouse

Região: N/A

ABV: 40%

Notas de prova:

Aroma: frutas vermelhas, mel

Sabor: frutas secas e caramelo. Malte. É um whisky bastante encorpado e surpreendentemente saboroso para sua faixa de preço. Quase não há turfa, e o sabor de especiarias é bem discreto.

Com Água: Adicionar agua reduz o sabor frutado e ressalta as especiarias.

 Preço: em torno de R$ 110,00 (cento e dez reais)

(*) quando esta prova foi originalmente publicada, o preço médio do Famous Grouse Finest era de R$ 80,00. Atualmente, ele está um pouco acima do limite de R$ 100,00, mas continua sendo um excelente custo-benefício.

famous grouse
A antiga garrafa da galinha, quero dizer, do tetraz.

 

11 thoughts on “O Cão Econômico 3/3 – Famous Grouse Finest

  1. Dear Dog,
    Ao contrário de vc não sou exatamente um amante de whiskies extremamente defumados e concordo plenamente com a sua avaliação do “The FG”. Pra mim é disparado o melhor blended STD disponível (dos blended Premium continuo fiel ao Chivas 12, não experimentei ainda o Extra).
    Tenho, outrossim, uma pergunta que não quer calar: Tendo em vista que os whiskies mais defumados o são devido a um processo natural de secagem do malte com turfa, por que a linha Johnny Walker é defumada se o Cardhu, que é a sua alma, não o é? Seria esse enfumaçamento produzido artificialmente, assim como a sua coloração?
    Cheers!

    1. Haha… dear dog foi ótima!

      Os whiskies da linha Johnnie Walker levam outros maltes defumados. O coração do JW Green Label, por exemplo, é o Talisker, que é levemente defumado. O Double Black leva uma boa quantidade de Caol Ila e Lagavulin, ambos maltes de Islay, e fortemente turfados. O Black Label tem praticamente a mesma composição do Double Black, mas com menor adição dos dois single malts defumados. Aliás, praticamente toda a linha leva Talisker. O caráter defumado pode não vir do malte base, mas certamente está em algum outro single malt da mistura. Por convenção, se a JW usar qualquer outra coisa que não água, whisky – seja grain ou malt – (e corante caramelo) em seus produtos, ela não pode chama-lo de whisky.

      1. Nada como falar com quem entende do assunto. Obrigado pela resposta suficientemente esclarecedora.
        In Dog We Trust.

  2. Sem pre apreciei muito o Famous Grouse Gold (ou Black, não sei bem), com generosos 43% de álcool que se bebem puros para restaurar a dignidade abalada porque, por exemplo, você confundiu um Old Parr com um White Horse.

    A propósito do jocoso comentário anterior, lembrei-me de um dito que descrevia os ingleses lá nos anos 60: “Ladies first, dogs after”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *